26 April, 2012

Como tudo começou :-)



Acho engraçada a ideia de terminar o blogue escrevendo como tudo começou, isto é, o início da minha aventura, como escolhi este tema de estudo. Por que razão a escolha das Ciências da Atmosfera? :-)



Sabem que eu tenho tido alguma dificuldade em relembrar factos e pessoas, dá-me brancas profundas e levo alguns dias até o processador cerebral conseguir aceder à informação necessária :-), no entanto, existem outros eventos que me lembro perfeitamente, mesmo que tenham passado décadas.

Agora que estou a escrever isto deu-me conta que estudo há quase 3 décadas, ca-ram-ba!!! :-O.
Um dia perguntaram-me se ia estudar para sempre? eu respondi que sim, a minha natureza tem uma componente mental muito forte, preciso de estímulo mental, existe uma necessidade de estar em permanente aquisição de conhecimento, em aprendizagem. Estranho... não é? :-)



Recuemos no tempo. 1º ano da década de 90. :-)

7º ano de escolaridade. Disciplina de Geografia. 

Naquele inverno, a Professora de Geografia ensinou-nos o lado físico da Geografia: mais concretamente, os centros de altas pressões, de baixas pressões, e o tempo atmosférico. Fiquei siderada, literalmente! O entusiasmo foi tal que não parava de falar sobre aquilo, e li e reli os livros, e na minha turma existia um menino cuja mãe trabalhava no INMG, na altura. Ela enviou, por ele, cartas de superfície com os símbolos marcados, para nós termos contacto com os produtos que fazem a previsão do tempo. Lembro-me bem que fui logo falar com ele a pedir-lhe informações sobre o que a mãe dele fazia :-), e um dia.... a mãe dele envia-me um envelope que continha várias cartas de superfície que guardo até hoje!
Depois desse momento, mudei de escola no 10º ano só para ter a disciplina de Geografia Física, e um dia, a passar em frente de uma livraria em Lisboa, vi um livro cujo título era Geografia Física 10º/11º anos de escolaridade, e voltei lá para o adquirir. Estava tão contente! Li, sublinhei, fiz resumos, sempre muito entusiasmada com o assunto.
Tudo o que se passava no céu ganhava uma nova vida, uma nova cor, um novo significado.
Infelizmente, por falta de alunos, a disciplina de Geografia Física não abriu naquele ano e eu fui adicionada à turma de Quimicotecnia e não pretendo repertir a graça nas minhas próximas 30 vidas! Éramos a turma do secundário com a maior carga horária, a entrar todos os dias às 8h30m, 1h30m de almoço e a sair quase todos os dias às 18h30m (!!!) como tínhamos imensas disciplinas de Química, o que não era nada do meu agrado e foi com bastante esforço que as fiz!
Mudei de escola novamente para fazer o 12º ano, o último ano em que o 12º ano tinha 3 cadeiras. Mudei de escola para fugir à Química e ingressei noutra em que tinha a opção da 3ª disciplina ser Geografia. Era Geografia Humana, mas muito melhor para mim.
A esta altura do campeonato já sabia que a FCUL era o meu destino. O curso de Ciência Geofísicas variante Meteorologia/Oceanografia estava lá à minha espera.
Lembro-me muito bem do dia em que fui fazer a minha 1ª matrícula. Estava com a minha mãe.
Lembro-me de sair do Serviços Académicos e estar a ler em voz alta as disciplinas que iria ter naquele 1º ano: "Análise Infinitesimal I, Álgebra Linear, Física I, Introdução à Física Experimental, Introdução à Meteorologia", isto no 1º semestre! Até disse: "Análise Infinitesimal I?! que nome assustador para uma cadeira!", segundos de silêncio enquanto observava a folha das cadeiras, "mãe, mãe! tenho 4 Análises Infinitesimais!!!!!" soube naquele momento que não iria ser "pêra-doce" e não foi.  Seguimos para a secretaria do Departamento de Física e foi lá, depois de ter sido atendida que fui praxada pela 1ª vez. Eles, tão queridos, fizeram-me pinturas na cara: raios, nuvens, um Sol. Estava bonito e muito contente!

Hoje, depois de muita "água correr debaixo da ponte", de todas as dificuldades sentidas inerentes à investigação nesta área, continuo de pedra e cal, com um entusiasmo mais calmo, mas existente, em relação à minha formação e ao caminho que escolhi. Continuo a olhar e a observar o céu, que me fascina, a tirar milhares de fotos de nuvens, sempre agarrada às imagens de satélite, de radar, e aos meus livros, para poder estar sempre a estudar :-) esta parte da grandiosa Obra que é a Natureza. 

Obrigada por terem acompanhado o blogue durante todos estes anos.

Fiquem bem!

Um beijo :-}**

25 April, 2012

E de volta... ao meu Cantinho Alentejano.




A vida é cheia de voltas e reviravoltas e muitas, muitas surpresas! juro, é verdade.. ainda não deram conta?! ;-)

Há meses que não escrevo aqui no blogue, peço desculpa, principalmente a mim própria, por não conseguir dar conta de todas as tarefas que chegaram às minhas mãos, mas a minha vida deu uma volta de 180º no mês de Março deste ano.
E tudo começou com um email que eu não esperava, mas que estava "guardado" para mim, para chegar na altura certa.
Nas nossas vidas, pensamos nós, imersos na enorme ignorância que temos em relação às Leis da Vida, que alguns eventos acontecem na "pior" altura e na maior parte das vezes não queremos, sair da nossa zona de conforto custa  e nós lutamos contra, às vezes com todas as nossas forças. Mas depois de forçados, vemos que o que nos esperava era muito bom!
O acaso, meus amigos, não existe, como diz Divaldo P. Franco, o acaso (e tudo o que parece ser obra do acaso, apenas mera coincidência) é uma Lei muito bem trabalhada para funcionar na altura certa!

E rodopiando, rodopiando, cá estou eu de volta ao meu cantinho, a dar aulas em pleno campo, no meio de rebanhos, cavalos, vacas, árvores de um verde reluzente, onde os meus olhos, para onde quer que se virem vêem horizonte, às vezes limpo de um azul céu :-) outras vezes coberto por uns Cumulus que nos sorriem, onde as andorinhas dançam em pleno vôo cantando e proporcionando-nos momentos de grande magia, de grande contentamento. É preciso ter olhos e ouvidos para deixar esta ligação com a Natureza acontecer, e, garanto-vos, é um bálsamo para nós. Depois de vários meses a ver prédios, carros e carros, vibrações complexas das pessoas que vivem nas cidades e que se cruzam connosco, estar aqui é um bálsamo para a alma, mesmo que seja por pouco tempo e sabendo disto, tudo é vivido e sentido muito mais intensamente.

A experiência do ensino é nova para mim, ensino não só assuntos relativos à minha área de formação, mas também a áreas complementares, como a programação, o Linux, softwares de visualização, etc. Requer  trabalho, requer estudo, e muito tempo. Não consigo demarcar a barreira Professor-aluno, o meu caracter não é esse, é mais de auxiliar, as aulas que dou são mais um grupo de trabalho que eu coordeno. 
Gosto de puxar por eles através do meu entusiasmo, principalmente porque eles não são de cá. 
Isto é já uma preparação para o que aí vem, mas noutra língua. ;-).

Por isso tenho que aproveitar enquanto cá estou, envolvida na vibração feliz do meu cantinho :-)

Um beijo e boa semana! :-}**

01 January, 2012

2012 já cá está!

Para todos vós :-)  


FELIZ 2012!!


e para começar bem, inspirados, partilho esta Mensagem de Emmanuel, através de F.C.Xavier, que o J.S. me enviou por email. As palavras de Emmanuel são sempre uma benção na alma, um impulso para continuar a caminhar na direcção do melhoramento de nós próprios, no nosso acrescimento, que tão necessário se faz.




Vamos, então, cultivar a calma e a serenidade diante das oportunidades que irão surgir, para tomarmos decisões e fazermos escolhas com sabedoria, de modo a conservar sempre a nossa Paz Interior (a verdadeira felicidade do coração).

Fiquem bem!

Com carinho :-}**

23 December, 2011

Festas Felizes! :-)


Presépio da Ordem Hospitaleira S. João de Deus, Lisboa



Queridos Amigos,

infelizmente o verdadeiro Natal ainda não é 365 dias por ano, infelizmente o Natal ainda não é vivido de dentro para fora**... mas aproveitemos esta altura para elevarmos os nossos corações ao alto em agradecimento puro e sincero, por mais um ano de vida que passou e outro que está mesmo ao virar da esquina, e que virá repleto de oportunidades de crescimento e melhoramento, de trabalho na nossa reforma íntima, de trabalho na educação e aquisição de mais e novos valores morais. 
Que a coragem e o amor estejam sempre connosco, orientando os nossos pensamentos, palavras, actos e comportamentos!

Com carinho e muita Paz,
Susana.



---

** São poucos os que, nesta sociedade que parece enlouquecida, sentem mesmo o Natal, vivem o Natal internamente e esse sentimento passa para fora. A violência está em todo o lado e não falo da violência que é noticiada na TV, nos jornais, de "faz-de-conta" de filmes, estou a falar da violência para connosco mesmos e para com os nosso próximo, aquela do dia-a-dia, seja em família, amigos, colegas de trabalho, pessoas com quem nos cruzamos na rua. Essa está sempre presente! Grita, revolta, enraivecida, faz barulho é como um vírus que se propaga, uma onda que nos invade e nos agarra sem nós percebermos e aí vamos nós, com ela, a deixar ela entrar e tomar conta de nós.


NÃO! NÃO! NÃO!


Vamos parar esta espiral de violência, não vamos deixar que ela tome conta de nós, vamos silenciar, não precisamos de responder na mesma moeda, de dar o troco, responder a um insulto com outro insulto. Isto é um corrente, que ao responder, ao atacar, estamos a alimentar sem saber! 
Vamos ser mais fortes e pará-la! falta-nos muito Amor, tudo isto é espelho de uma carência muito grande, vamos trabalhar em nós para mudar o rumo destes acontecimentos do dia-a-dia, porque a não-violência começa a nós. Vamos mostrar a face de pessoas de Bem a quem não conhece tão bem o que é ser isto.


Hoje, nas minhas idas e vindas, por sítios altamente movimentados, em plena época Natalícia, em que a maior lição, a maior Lei é a Lei do AMOR e que deveria, pelo menos nesta época, reger todos os nossos actos e pensamentos, vi actos de violência de pessoas para com outros desconhecidos para elas que me deixou triste... e pensativa: afinal do Natal começa só da "porta da minha casa para dentro" e se estas pessoas tomam estas atitudes nesta época, onde a solidariedade e a fraternidade deveria tomar conta de nós, eu nem quero imaginar como eles se comportam o resto do ano!


Natal é celebrar o nascimento de Cristo, Aquele que nos veio ensinar o que é o AMOR, e nos dizer que o Orgulho, é a FONTE de todas as misérias humanas, de todos os nossos males (E.S.Esp), vamos, então, arregaçar as mangas e trabalhar em nós mesmos para erradicá-lo por completo de dentro de nós. Com Ânimo, Força e Coragem!

---

04 December, 2011

Recordando os meus amigos Indianos :-)

[ o antepenúltimo post!  - slideshow no final]


Este artigo está em rascunho desde o dia 1 de Novembro de 2010!! há mais de 1 ano.... caramba, como sou lenta! LOL
Pensando melhor, faz todo o sentido que ele faça parte dos últimos artigos que escrevo para o blogue, já vão perceber porquê.

Antes de contar mais esta história, quero colocar uma introdução intrinsicamente ligada com as pessoas que fazem parte dela. Fui folhear o livro Evangelho Segundo o Espiritismo, de A. Kardec, para ver se me inspirava. Este livro é um consolo para a alma e para o coração, e lá encontrei isto:

"Se os homens se amassem reciprocamente, a caridade seria melhor praticada.
Mas, para isso, seria necessário que vos esforçásseis no sentido de livrar o vosso coração dessa couraça que o envolve, a fim de torná-lo mais sensível ao sofrimento do próximo.
O Cristo nunca se esquivava: aqueles que o procuravam, fossem quem fossem, não eram repelidos. (...) eram socorridos por ele, que jamais temeu prejudicar a sua própria reputação. Quando, pois, o tomareis como modelo de todas as vossas acções?
Se a caridade reinasse na Terra, o mal não dominaria, mas se apagaria envergonhado; ele se esconderia, porque em toda a parte de sentiria deslocado.
Então o mal desapareceria; compenetrai-vos disso.

Começai por dar o exemplo vós mesmos. Sede caridosos para com todos, indistintamente. Esforçai-vos para não atentar nos que vos olham com desdém. Deixai a Deus cuidar de toda a justiça, pois cada dia, no seu Reino, Ele separa o joio do trigo.

O egoísmo é a negação da caridade. Ora, sem caridade, não há tranquilidade na vida social, e digo mais, não há segurança. Com o egoísmo e o orgulho, que andam de mãos dadas, essa vida será sempre uma corrida favorável ao mais esperto, uma luta de interesses, em que as mais santas afeições são calcadas aos pés, em que nem mesmo os sagrados laços de família são respeitados."

(por Pascal, Sens 1862, no E.S.E, Capt. XI - Amar ao próximo como a si mesmo, pags. 205 e 206)


Foi numa tarde nublada, onde a correria dos estudantes invadia os percursos que ligavam os vários edifícios da UW onde as aulas ocorriam. Eu, fazendo parte do sistema, também caminhava apressadamente, com o meu latté de soja e baunilha na mão, tentando aconchegar o cache-col  e a lembrar-me das luvas que deixei no gabinete, quando um rapaz intercepta o meu caminho e me estende um panfleto. Paro. Olho para ele. Olho para o panfleto e leio "Aulas de Cozinha Indiana vegetariana. Grátis." Era o último panfleto dele. Pergunto-lhe se é verdade e quem eram as pessoas. Soava-me estranho ler aulas de cozinha grátis. Estou na América, há aqui algo grátis?!

02 November, 2011

Trouxinhas à Indiana :)


Algo se comemorava cá em casa, mas que agora não estou a conseguir lembrar-me de exactamente o quê... quando recebi por email mais um boletim do Centro Vegetariano cujo conteúdo trazia esta receita da Ana S. cujo título original é Empadinhas de Beringela e Curgete com Caril.

Eu ADORO empadinhas e por acaso até havia uma beringela no frigorífico à espera de ser introduzida numa receita inovadora que eu ainda não tivesse experimentado (a esta altura do campeonato ainda não tinha comido fatias de beringela grelhadas - meus senhores - não há palavras para descrever, uma D-E-L-Í-C-I-A!!!), por isso meti mãos à obra e segui a receita passo-a-passo.

Como de costume não tinha todos os ingredientes, a farinha de centeio não havia, mas tinha centeio em grão que moí no moínho electrónico de café e voilá, já tinha a farinha. Também não tinha o tabuleiro para os queques, mas a minha mãe tinha formas de queques individuais muito antigas - utilizei essas mesmo.
O único senão foi mesmo o forno! :((, algo se passa com o forno cá de casa, tenho cá para mim a teoria de que este forno tem, não uma, mas várias costelas Alentejanas, porque é "lento como o raio", caramba, cheguei a ficar desesperada com o tempo que ele demorou a tornar douradinhas as 1as trouxinhas que coloquei dentro dele! foi quase 1h!!! inacreditável!
Como o recheio cheirava tão bem, todos me apoiaram para continuar, e fiz todas as trouxinhas nesse dia (aumentando ligeiramente a temperatura do forno), embora, claro está, não conseguissem ser as entradas do almoço, mas foram sim o elemento principal do lanche :))), e sem qualquer referência à definição de estado "douradinho", elas ficaram MESMO MUITO BOAS!!!
O dia a seguir não chegou a ver uma única.



Para vos abrir o apetite e impulsionar-vos para a cozinha ;-).
Bons cozinhados!


Um beijo :}**

Maionese de Caju



[e começou a contagem descrescente para os últimos artigos do blogue]


Já cá em Portugal e sentindo ainda a falta de certos molhos já preparados, vegetarianos ou vegan, biológicos, que facilmente se encontravam nas prateleiras de um qualquer supermercado em Seattle, havia um em especial cuja a falta começou a ser intensamente sentida. As versões que já tinha experimentado cá, antes de sair para os EUA, não eram nada por aí além, por isso ir comprar uma embalagem de maionese vegan não era o que mais me apetecia.
Meti mãos à obra e tomei uma boa dose de paciência e consultei o Oráculo (Google) para ver o que ele me tinha para mostrar em relação a receitas de maionese vegan, algo que fosse diferente e saborosa. E como o Oráculo tudo sabe ;), basta escrevermos as palavrinhas mágicas, uma pesquisa rápida levou-me ao encontro desta receita: Cashew Mayonnaise, do website Vegweb.com, que tem milhares de receitas para todos os gostos vegetarianos, vale pena guardar nos Bookmarks :).

Esta maionese é Absolutamente ES-PEC-TA-CU-LAR!! 
Deliciosa, muito saborosa, e é feita mesmo muitas vezes cá em casa. Super versátil, Adoramos comê-la só com pão levemente torrado e como é feita de amêndoa caju é muito nutritiva e saudável!

Como sou alérgica ao limão, e o meu liquidificador na altura não era grande coisa, tive que adaptar a receita, e a receita final adaptada ao meu gosto é esta:


Maionese Crua de Amêndoa Caju (ver NOTAS):

1/2 a 1 xícara (cup) de amêndoa caju demolhada (4h é o suficiente para a amêndoa germinar)
1/3 xícara (cup) de água filtrada (mal cheia de utilizarmos 1/2 xícara de caju)
3 a 4 dentes de alho (não muito grandes)
2 Tablespoon (5 ml) de vinagre de arroz (original: sumo de limão)
2 Tablespoon (5 ml) de nectar de Agave
pitada de sal
pitada de pimenta de Caiena
pitada de noz-moscada (que adoro!)
uma mão cheia de 1 manjericão (ou salsa ou coentros)
azeite extra virgem biológico q.b.

Bata os primeiros 8 ingredientes num liquidificador até obter um creme bem cremoso.
Junte o azeite a pouco e pouco, com o liquidificador a funcionar e vá batendo até o sabor do alho se suavizar e ficar ao seu gosto.
Junte o manjericão e bata novamente até o creme adquirir o tom verde e o manjericão estiver todo picadinho.
Sirva com e onde quiser!


NOTAS:

- a minha 1ª tentativa foi com o picador da varinha mágica, que já é bastante antigo e não resultou, é mesmo necessário lâminas mais afiadas e um motor mais potente para a amêndoa caju ficar bem cremosa.
- se estiverem com pressa, demolhem as amêndoas em água quente por 15 min, acho que também resulta, embora nunca o tenha feito.
- dura um bom tempo no frigorífico.
- as amêndoas caju são caras, por isso, um dos comentários à receita original referia que com sementes de girassol era capaz de resultar também. Ainda não experimentei, mas sigam a mesma receita, demolhando as sementes de girassol um pouco mais, talvez umas 8h a 12h. O demolhar faz com que elas germinem e ao geminarem ficam carregadinhas de nutrientes e minerais que o nosso organismo tanto precisa.


Boas experiências!

Até ao próximo. :)

Um beijo :}**

18 October, 2011

Dia 18 de Outubro de 2011 :)))



o dia em que me.... :))))




DOUTOREI !!!

Da esq para a drta: O Presidente do Júri o Professor José Duarte Pedro, Professor João Corte-Real, o Professor Alfredo Rocha, Eu, a Doutora Mariana Bernardino, e o Doutor Paulo Gonçalves :)

1º andar: o Bruno, o Paulo Gonçalves, Dª Emília, a Susana, a Regina, a Mãe, a Mariana, o Professor, o Professor Rocha, Eu, a Filipa, a Marina, o Zeca e o Valdemar.
Rés-do-chão: a Natacha, a Ana e o Pai :)

Chegou ao fim mais esta etapa da minha vida, 5 anos depois de ter começado.


Os meus mais profundos, sinceros e sentidos agradecimentos a todos aqueles que estiveram em Aveiro hoje e aqueles que não puderam estar, mas vibraram por mim! Vocês são o MÁXIMO!! Obrigada!! :)


Slideshow:




Um beijo  :}**

15 October, 2011

O meu MANTRA actual :)


I HAVE CONFIDENCE

by Julie Andrews in The sound of Music! :) :) :)


Letra:

What will this day be like? I wonder.
What will my future be? I wonder.
It could be so exciting to be out in the world, to be free
My heart should be wildly rejoicing
Oh, what's the matter with me?

I've always longed for adventure
To do the things I've never dared
And here I'm facing adventure
Then why am I so scared

A captain with seven children
What's so fearsome about that?

Oh, I must stop these doubts, all these worries
If I don't I just know I'll turn back
I must dream of the things I am seeking
I am seeking the courage I lack


The courage to serve them with reliance
Face my mistakes without defiance
Show them I'm worthy
And while I show them
I'll show me

So, let them bring on all their problems
I'll do better than my best
I have confidence they'll put me to the test
But I'll make them see I have confidence in me


Somehow I will impress them
I will be firm but kind
And all those children (Heaven bless them!)
They will look up to me

And mind me with each step I am more certain
Everything will turn out fine
I have confidence the world can all be mine
They'll have to agree I have confidence in me


I have confidence in sunshine
I have confidence in rain
I have confidence that spring will come again
Besides which you see I have confidence in me

Strength doesn't lie in numbers
Strength doesn't lie in wealth
Strength lies in nights of peaceful slumbers
When you wake up -- Wake Up!

It tells me all I trust I lead my heart to
All I trust becomes my own



I have confidence in confidence alone
(Oh help!)

I have confidence in confidence alone
Besides which you see I have confidence in me!

----


Canto isto várias vezes ao dia, anima-me, encoraja-me!! hehehehe


Para ouvirem a música:



Um beijo  :}**


P.S.  - Neste momento em que vos escrevo faltam 3 dias (!!!!) - leram bem - para o fim de mais uma etapa da minha vida. :)
(o tempo passou tão depressa!)

07 October, 2011

E no verão... muitas saladas comerão :)

isto é um prognóstico dos básicos - no verão só apetece coisas frescas e uma saladinha está em quase todas (senão todas) as refeições. É ou não é verdade?
Aqui por casa é, e é quando está calor que mais como e me dá vontade de fazer saladas. 

Estas foram inventadas - fui juntando, juntando, e tinha um molho especial na cabeça, e saiu algo muito bom. Nada mau para uma 1ª vez! ;)
Como não escrevi logo na altura, vou tentar fazer um apanhado fiel dos ingredientes.

Ingredientes (todos!):

1 cup/chávena (~250gr) de lentilhas verdes germinadas (nas duas versões)
cenouras cortadas em palitos finos
metade de 1 pimento laranja/amarelo
metade de 1 pimento vermelho
1 lata de feijão vermelho biológico cozido
1 mão cheia de espinafres
1 quarto de couve branca cortada em juliana
1 quarto de couve-roxa cortada em juliana
~200gr de cogumelos marron laminados
1 alho francês cortado às rodela muito finas
1 pepino cortado em bocados médios
salsa/coentros/manjericão
sementes de sésamo q.b.

Lavar tudo muito bem. Fazer o molho/tempero maravilha (com agave), envolvê-lo bem nos ingredientes da salada.
Tentar não repetir mais que 2x! ;)


Bom fim-de-semana!


Um beijo :}**



PS - Outubro de 2011: temperaturas máximas acima dos 25ºC em quase todo o país. O verão ainda se faz presente, que Benção dos Céus!

O que cai bem no verão é um suminho de melão!

quem rima sem querer é amado sem saber! ;)

não foi de propósito, juro, surgiu assim de repente, enquanto pensava num título adequado para o "post".

Super simples: 2 fatias de melão, sem casca e sem sementes, cortadas em bocadinhos pequenos. Bater tudo no liquidificador. Colocar um folhinha de hortelã (esta foi com a hortelã que cresceu no vaso da varanda) para decorar, que combina bem! E pronto, servir e fechar os olhos para poder saborear profundamente LOL. 



Digam-me lá se o liquidificador não é um electrodoméstico essencial numa cozinha? ;)
E se o verão não é o máximo? com todas as suas maravilhosas frutas! é de aproveitar todas as oportunidades para "abastecer" :)

Volto em breve!

um beijo :}**

Que saudades de Alga Nori com aquele arroz especial ;)

Este longo título só para não escrever que o que vos vou apresentar a seguir é sushi vegetariano! :) mas o que é que querem? sinto-me inspirada... não há nada a fazer! :p

Hoje escrevo da minha casa. 
É tão importante este facto que o estou a mencionar, que tenho necessidade de o escrever. Escrevo-o mais para mim, mas aqueles que me acompanham sabem bem o peso que este evento tem na minha vida actual. Estou no meu Cantinho, rodeada deste silêncio tão precioso que encanta os meus sentidos, que abraça a minha alma. Como estava precisada de uns dias assim. Há já alguns meses que não passava cá mais de 2 dias, desta vez é 1 semana. 
Sabe tão bem! sentar-me no sofá, as janelas todas abertas para deixar entrar esta brasa alentejana, os vizinhos que entram e saem das suas casas, as crianças que brincam na praceta.... eu simplesmente fecho os olhos e oiço.... e sabe bem! esta paz interior, este regresso a mim própria, este sentimento de entrar na cozinha e ter uma explosão cerebral de ideias para fazer: scones, sushi, tarte de abóbora, bolos, um esparguete à bolonhesa (com seitan, claro!) e um sorriso enorme se abre... e claro está! dei asas à minha vontade de cozinhar e como andava com umas saudades imensas de comer alga nori, meti mãos à obra e fiz o que vos mostro a seguir.

25 September, 2011

e uma de manga... também pode ser? :)


E seguindo a mesmíssima receita da mousse natural de morango, na proporção 1 manga madurinha para 1 chávena de amêndoas germinadas (e sem pele), se a manga for mesmo docinha, não coloco tâmaras e também não costuma ser necessário adicionar mais líquido, porque a manga é sumarenta - meus senhores e minhas senhoras - fica uma delícia!!!!
É a versão que faço mais vezes cá em casa, o pessoal adora! ainda por cima, depois de uma temporada em Tavira, onde nos abastecemos de Mangas Tavirenses hehehehe, isto é, do Algarve, mais pequenas, com um aspecto vermelho-rosado, com uma fragância a lembrar flores do campo. Deliciosas!
Se não conseguirem mangas do Algarve, prefiram as mangas "por avião", do Brasil. 
Ainda não tivémos azar com elas.


Mousse Natural de Manga (porque o natural é BOOOOOOM!) :

1 manga madurinha 
1 chávena de amêndoas germinadas (12hr de molho)
1 pitada de canela (porque eu ponho canela em tudo!! até no café!)

Colocar tudo no liquidificador seguindo esta ordem: manga descascada em pedaços pequenos (com o sumo e tudo), tirar a pele às amêndoas e colocá-las por cima da manga descascada, finalmente a canela. bater tudo até ficar um creme homogéneo. Servir com bagas goji e decorar com 1 ou 2 folhas de hortelã.



Um excelente pequeno-almoço!

Agora podem experimentar com nozes germinadas, com amêndoa caju germinada (que é muito utilizada na cozinha natural ou crudívora), também deve ficar bem ;)


Um beijo e boa semana! :}**

Vai uma moussezinha de morango? :)

 

Eu estou a olhar para estas fotos e está mesmo a dar-me vontade de ir a correr para a cozinha fazer esta mousse, a água está a crescer-me na boca, literalmente! hehehehe
Fica mesmo um creme muito, muito bom!
Esta receita tem a sua origem no Leite da Terra, na sobremesa Sonho de Morangos e Mirtilos, e assim que a vi fiquei com tanta vontade de fazer que fui logo ver que ingredientes disponíveis tinha eu na cozinha para confeccionar aquela mousse.
Como de costume, rapidamente percebi que faltavam alguns, por isso adaptei-a e fiz algo mais simples, que também cai bem, e gosto particularmente de a comer ao pequeno-almoço. :)


Mousse Natural de Morangos (porque não leva nada cozinhado!!)

500gr de morangos
1 chávena de amêndoas germinadas (12hr de molho, retirar as cascas depois de demolhadas)
3 ou 4 tâmaras secas demolhadas (para ficarem macias)
1 colher de sopa de bebida de amêndoa (ou outra, só se houver necessidade!)
1 pitada de canela.

Colocar os ingredientes no liquidificador seguindo esta ordem: os morangos bem lavados e cortados em  quartos, as tâmaras, as amêndoas sem pele, a pitada de canela. bater até virar mousse. Se ficar muito grosso e não processar tudo, juntar então 1 colher de leite de amêndoa ou outro para ajudar as lâminar do liquidificador a rodarem. Distribuir em tacinhas e servir.

Notas: 
a) as tâmaras servem para adoçar. Se não tiverem, coloquem geleia de Agave (vão adicionando ao preparado até ficar como vocês querem), ou açucar mascavado. POdem ser demolhadas de um dia para outro, ou deixar 15 min em água acabada de ferver.

b) Dêem preferência a alimentos biológicos.

c) as cascas das amêndoas saem facilmente depois de eles terem sido demolhadas.

d) experimentem com outra fruta!


Estão a ver? :) e assim se faz algo muito saudável e completamente natural, sem ovos, nem leite de vaca, nem natas, nem nada dessas coisas.

Eu volto já com outro exemplo ;).


Um beijo :}**

O Mar, o Céu e a vela... juntos!

[fotos no final em slideshow :)]


Estou aqui a experimentar as novas funcionalidades do editor do blogue, tudo re-organizado e com novo aspecto, mas não está a ser fácil! hehehe, a nossa memória adaptou-se completamente a outra estrutura e estou a sempre a perguntar a mim mesma "onde é que está aquela opção?!" e a perder segundos preciosos a procurar o que quero, quando antigamente fazia tudo de olhos fechados! não sou simpatizante de grandes mudanças, mas confesso que todo o aspecto do editor é bem mais suave e agradável, só falta mesmo adaptar-me a esta brancura Zen ;).

Sabem uma coisa? :) já não tenho muitos artigos para publicar, na verdade são bem poucos, o que significa que esta aventura da escrita está mesmo a terminar! Não estou triste, até porque não vou deixar de escrever, continuo a fazê-lo mas em modo mais privado para poder "dizer" aqueles palavrões proibidos que ninguém pode ler, quando as situações arrasam o meu coração. lol

Hoje escrevo sobre mais uma aventura no mar - mar, céu e velas.... tudo junto. É como quem diz "Fui velejar", ou melhor "Fomos velejar"! Em Junho de 2009, há mais de 2 anos.
Foi no Puget Sound, em Seattle, ao pôr-do-Sol.

09 July, 2011

The Hills are Alive ... :)

[Fotos? no fim de toda a escrita! :)]


Quem me conhece sabe que sou uma FÃ incondicional deste filme, já o vi CENTENAS de vezes e continuo a vê-lo com o mesmo entusiasmo. Tenho a banda sonora do filme e ultimamente tenho cantado e cantado, alto e bom som, algumas das músicas que simplesmente ADORO!

Mas... oh Susana, o que é que te deu para escreveres sobre o filme Música no Coração (The Sound of Music)?
É que, por causa do filme, eu nutro uma enorme vontade de conhecer a Aústria e em Abril deste ano, por motivos profissionais, eu ESTIVE na Aústria!! Foi um evento e tanto e é isso que vos quero contar! ;)

Todos os anos acontece uma mega conferência na área das Geociências: Atmosfera, Oceano e Geofísica. Costumava ser em Nice, França, mas devido à quantidade crescente de participantes, nos últimos anos esta conferência tem tido lugar em Viena, Aústria. Em geral, como são conferências muito grandes eu não ligo muito, mas este ano foi diferente: havia uma sessão de trabalhos que englobava o meu tema: convecção e nuvens, e quando eu vi o programa, fiquei mesmo entusiasmada! A esta, eu VOU!
Foram quase 11000 partcipantes e estiverem representados 96 países!

02 July, 2011

Ausências


Se olharem para o Cantinho das Histórias, na coluna do lado direito, vão facilmente verificar que não tenho escrito quase nada aqui no blogue. 
Tenho estado muito ausente, o que não é um comportamento normal, visto que tenho sempre algo para escrever, para contar, para partilhar, para divulgar.
Escrever sobre o motivo que me mantém ausente não é fácil, porque é delicado e porque teve/tem repercussões na minha vida até hoje.
É impressionante como de repente TUDO muda, a vida ou como eu costumo dizer O Pai, nos dá uma prova que abana (e às vezes destrói) todos os alicerces sobre os quais construímos as nossas vidas. Mas, não é por acaso, nada acontece ou existe por acaso, e se estas situações acontecem nas nossas vidas é porque precisamos delas, e elas, muitas vezes sem nós sabermos ou nos darmos conta, nos ajudam a subir mais um degrau na nossa evolução espiritual e estarmos mais próximos d'Ele.

Em 2009, ainda em Seattle nessa altura, uma conversa telefónica com a minha família trouxe-me um dos maiores choques emocionais de toda a minha vida, 32 anos de vida - até fez com que os meus desencontros/desilusões afectivas parecessem um grão de areia: a esposa de um casal amigo, da mesma idade que eu, com 2 filhas pequenas (na altura 4 anos e menos de 1 ano de idade, respectivamente), tinha feito uma dupla mastectomia em virtude de um cancro de mama maligno, e estava a fazer tratamentos agressivos de quimioterapia, porque naquela altura os médicos suspeitavam de metásteses nos pulmões.