20 May, 2007

Blake Island!

Cliquem no álbum:
Ilha_Blake

com vídeos (de pontes a levantar- estejam preparados) e tudo! :-)) São mais de 200 fotos! Na realidade foram mais de 300, foi o cartão inteirinho, mas tive que apagar algumas, deixei só as melhores.
Todas comentadas! ... ou quase todas :-)
E dizem vcs: Suzéna, isso é um exagero!! e eu respondo: Não é nada! porque foi um fds muito bom, acampámos, fizémos vela, sempre acompanhados de paisagens lindas!
É bom ter fotografias para recordar!;-)

Começa assim esta história:

Estávamos no ano de 2007, no final do mês de Abril, El Rei D. Carlos..... hehehehe - não pude evitar, desculpem! - bem.... continuando :-)
quando surge a oportunidade de ir um fds para a Ilha Blake, localizada no Puget Sound. O grupo de vela ao qual a Raivinhas pertence organiza um fds destes 2x por ano, um na Primavera e outro no Verão.
O programa era: às 7h00 da manhã de sábado partiríamos em direcção à Ilha Blake, nos barcos à vela, acamparíamos lá e voltaríamos no Domingo, à hora de almoço. Só teríamos que levar o almoço de sábado, porque o almoço seria em viagem, tudo o resto era fornecido. O total dos custos era 30 dólares.
Alinhamos na experiência e fomos as 3: eu, a Raivinhas e a Li.
Na 5f anterior ao evento tivémos que nos ir inscrever ao WAC (Waterfront Activities Centre), pagar os 30 dólares, escolher a comida que queríamos e limpar os barcos. A Li foi a primeira a chegar e ainda deu a sua contribuição na limpeza, eu e a raivinhas chegamos mais tarde e só tivémos que pagar e escolher o jantar de Sabado e almoço de Domingo, e ouvir as recomendações. A limpeza do nosso barco já estava feita. E ainda conhecemos o nosso capitão: Captain "Fair Enough", um senhor com um ar mesmo de capitão!
E por quê "fair enough" ? Porque na breve conversa que tivémos naquele dia, ele repetiu estas duas palavras uma série de vezes e eu captei logo! E voltou a repeti-las durante o fds todo, portanto ficou o Captain Fair Enough.
--
Por acaso, chamar alguém de Captain, soa bem! :-)) lembra os filmes americanos!
--
O nome dele é Andrew.
Na 6f, à noite, a Raivinhas passou por minha casa para me dar a roupa interior. Sim, porque vcs não vão para uma empreitada destas sem estarem minimamente BEM equipados e havia regras a cumprir (já vou citá-las).
E o que é a roupa interior, perguntam vcs de sobrancelha levantada?
A roupa interior não é mais do que uma camisola e umas calças interiores, sintéticas, para nos mantermos quentes. O pessoal que vai para a neve, esquiar (por exemplo), sabe que tem que usar este tipo de roupa interior para se manter mais quente. A Raivinhas tinha 2 camisolas e 2 calças, emprestou-me umas.
Mas há um facto curioso nesta roupa interior (e por isso é que a estou a mencionar aqui) a roupa, da marca HH, comprada no Norte da Europa, tem na etiqueta: MADE IN PORTUGAL !!! e esta hein?
--
Por acaso, agora estou a lembrar-me que a Condessa (a outra rapariga cá de casa) tem umas tigelas, compradas numa loja toda XPTO, que no fundo, têm escrito : Made In Portugal. :-)) e são bem bonitas!
Também já vi muitos lençóis com a mesma etiqueta.
--
Nessa noite levei uma "sova" de instruções: a roupa interior sintética, não podia levar algodão (não se usa algodão nos barcos!), ou lã ou sintéticos, as temperaturas estavam baixas, por isso tinha que levar 4 camadas em cima: 2 casacos, uma camisola de lã e a roupa interior, e umas calças impermeáveis, mais umas meias (não de algodão!), um gorro, um cache-col e uns sapatos de sola branca, porque o Captain FE não queria que ninguém sujasse o barco.
O problema é que quase ninguém tem sapatos de sola branca e quase ninguém cumpriu esta parte do acordo. Eu levei os meus ténis de corrida, que lateralmente são brancos, mas a sola é preta. Ao menos deu para disfarçar.;-)
Mais o saco de cama, a tenda levou a Li, para nós as três, o almoço, água, umas cookies para dar dentadinhas durante a viagem, uma muda de roupa, higiene básica e na madrugada de sábado tinha tudo preparado, bem acomodado dentro de uma mochila pequena. Dormi pouco nessa noite, tive medo de adormecer e o combinado foi elas passarem cá em casa por volta das 6h45m.
Já tinha amanhecido completamente quando elas chegaram aqui a casa....atrasadas. Pela primeira vez, desde há algum tempo, estava pronta a horas, até me orgulhei de mim própria.
Eu parecia um chouriço com pernas! hehehehe vejam as fotos e confirmem.
A Dona Lucy&Cpª disseram logo: "Ó filha: ias toda enchouriçada!" :-)))))
Chegamos ao WAC onde já havia muita gente a carregar os barcos. Fomos conhecendo o pessoal do nosso barco, que se chamava Gaia e de outros barcos, e atirando as mochilas lá para dentro.
A organização preparou um pequeno almoço rápido, a pensar naqueles que não tiveram tempo de o tomar: café, leite, chá e bolos, muita variedade de bolos, com creme, sem creme, com cobertura de várias cores... bolos é com este pessoal! Eu dei logo um golo no café.
--
Aqui há tanta variedade de café que ainda não me atrevi a comprar um pacote no supermercado. É que..... é um corredor inteiro cheio de variedades de café.... e a escolha é bem difícil. Para vcs terem uma ideia, ainda no outro dia o 5º elemento (um dos rapazes cá de casa) comprou um pacote e não leu bem o que lá dizia e comprou descafeinado! Mas ele já tinha o pacote no frigorífico há meses, mas só no outro dia de manhã é que resolveu ir ver o que se passava com o café, porque ele bebia-o e não sentia qualquer efeito, continuava sonolento! Estava um pouco desconsolado nessa manhã.
--
Os grupos começaram a sair em direcção à ilha. Éramos bastantes, mas não tenho ao certo o número. Todos bastante simpáticos, divertidos, brincalhões e pessoas simples.
E vcs sabem que é exactamente com este tipo de pessoas que o melhor ambiente se forma e passamos BONS momentos!
Depois de uma corrida para ir buscar os coletes de salvação ao armazém, estávamos todos prontos para partir quando de repente o Captain nos comunica que faltavam as chaves do barco, do motor!
Lá tivémos de esperar enquanto o Captain virava o barco do avesso à procura das chaves e foi a uma série de sítios, mas as ditas nunca apareceram.
Então, sabem como nós saímos do WAC? ligação directa!! heheheeh
e esta hein? pois foi, o Captain teve que fazer uma ligação directa para podermos sair do WAC. E já com o motor a trabalhar, lá saímos em direcção ao mar.
Estava frio. Eu não senti até chegarmos mesmo ao mar, mas estava frio.
Lá nos fomos arranjando no barco, à procura do melhor "spot", como eles dizem aqui, do melhor lugar, eu gosto de ir lá à frente e assim, nós as 3 lá à frente e o resto do grupo sentado ao lado do Captain que ia ao volante, no comando.
Foi nesta altura que tirei mais fotografias e filmei as pontes abrir.
Ao princípio o Captain não gostou muito da nossa equipa, chamava-nos uma palavra em inglês que não me lembro, mas que queria dizer algo parecido como equipa preguiçosa, isto porque havia duas raparigas na equipa que estavam a denegrir a nossa imagem. :-)) Elas estavam muito sonolentas e dormiram bastante durante a viagem.
A nossa equipa era: nós as três, o Josh, o Stefan (alemão, de Munique, estudante de erasmus), a Anne (que fazia parte da organização), a Sandy, a Joanna e o Captain. Portanto 3 homens e 6 mulheres :-))
Eram nestas últimas mulheres que a preguiça residia mais... mas o engraçado mesmo era a atitude da Sandy. Quando ela acordava e acordou das suas várias sonecas na proa do barco (foram várias horas de viagem), agia como se estivesse no comando e dava ordens a todos nós. Tu fazes isto, tu fazes aquilo, e assim por diante. Era no mínimo estranho, mas ninguém lhe deu muita importância. E falava também muito ao tlmv, facto que deixou o Captain um pouco perturbado ;-).
Tudo isto para vos dizer que "Muscle Strength" (força muscular) só tínhamos de 2 homens, efectivamente, porque o Captain ia ao volante.
E muitas vezes, quando o Captain dizia: "Ready to Tack?" que quer dizer que vamos mudar de direcção e é preciso alinhar a vela, puxar as cordas, etc, ouvia-se o captain a chamar pelos rapazes e dizia assim: "We need muscle strength here!", isto para dizer que as mulheres não estavam a dar conta do recado à velocidade que estas mudanças de direcção deveriam acontecer. Foram alturas de muita movimentação dentro de um barco pequeno com 6 pessoas, mas é exactamente este frenesim que torna os acontecimentos interessantes! ;-)
A viagem correu bastante bem, velejámos bastante, e todos tiveram oportunidade de conduzir o barco.
É muito fixe!!! Ter nas mãos algo circular com um diâmetro considerável e mal a movimentam, sentem o barco a seguir o rumo. É muito giro, é uma experiência válida.
Enquanto estivémos na baía, na Union Bay, passámos por várias pontes, nas quais tivémos que esperar para que se abrissem (videos!) e onde tirei muitas fotos da zona downtown da cidade.
É bem bonita, vista da baía! parece mesmo uma cidade americana. :-)
E todos os edifícios altos estão concentrados naquela zona, assim que saímos de downtown, seja para norte, sul, este ou oeste, só se vê colinas, verde (muito verde) e casas baixas.
Foi um passeio muito bonito, onde vimos canoas, kayaks, a polícia marítima passou por nós algumas vezes, vários barcos atracados, roupa estendida nas varandas (foi a 1ª vez que tive oportunidade de ver roupa estendida como em PT, ainda não tinha visto desde que cheguei aqui. Serão portugueses? hehehe), e casas-barcos.
E eis que chegámos às docas flutuantes (Obrigado pai por esta lição de navegação!). Quem não sabe é como quem não vê, literalmente! Eu nem me apercebi muito bem do que estava a acontecer até que vejo o nível das águas a descer bruscamente. Chegámos ao final da baía, i.e. ao limite entre a baía e o mar (Puget Sound, braço do Pacífico). Existe uma diferença considerável entre os níveis das águas das duas porções.
E para os barcos passarem de um lado para o outro, eles construíram estas docas flutuantes. São um recinto, com portas móveis, onde os barcos atracam uns aos outros, sob as direcções atentas das pessoas que trabalham nestas docas, e o onde o nível da água dentro delas sobe ou desce consoante os barcos vão entrar ou sair da baía, respectivamente. Quando vamos para o mar, elas passam despercebidas, por isso é que eu demorei algum tempo a entender o que se iria passar.
Os barcos grandes são os primeiros a serem encostados à parede, mas uma parece baixa, como se estivessem a atracar no porto, e amarrados com uma corda, e depois os mais pequenos são amarrados a estes e assim sucessivamente. Os portões móveis das docas fecham-se e é esperar que o nível da água desce e desce bastante, como poderão ver pelas fotos.
Quando fomos para a Ilha, ficámos na doca maior, quando voltávamos, ficámos na mais pequenita, éramos 5 barcos lá dentro, dois grandes, dois pequenos e uma lancha. Estávamos tão colados uns aos outros que dava para saltar de um barco para o outro! :-) e tivemos oportunidade de conhecer os nossos "vizinhos".
O mais giro é que as pessoas vão a esta zona, que fica próximo de Ballard, ver os barcos a descer e a subir. De manhã não estava lá muita gente, mas quando voltámos... familias inteiras com os cães e tudo! :-))
Assim que entramos no Puget Sound a vista é completamente diferente! Vêem-se muitos barcos à vela e os Ferries que fazem as ligações entre Seattle e as ilhas. Existem muitas ilhas nesta região, numa delas até orcas é possível ver! também se vêem os grandes navios, os porta-contentores, etc.
Foi nesta região que todos tiveram a oportunidade de conduzir o barco.
E ninguém levou protector solar, logo, no final do dia, estávamos todos "lagostinhas", mas o número um foi para o Stefan que velejou 2x (depois de chegarmos à ilha, ele foi velejar outra vez) sem protector solar, ele estava mesmo "pink"! e com a marca dos óculos! :-)) o que lhe valeu foi a raivinhas ter levado um creme e ele colocou, para hidratar, que o caso estava mau.
A meio da viagem tivémos um acontecimento: a equipa do "Let's go crazy", dois rapazes, tiveram um "acidente": um deles caiu ao mar! é verdade! um naúfrago!
E o nosso Captain ordenou: vamos lá! vamos salvá-lo! e assim todos nós tivémos um papel, o meu era não perder o náufrago de vista, dado que o outro estava a tentar recolher a vela do barco, e estava a ter dificuldades. À medida que o tempo passava, o náufrago afastava-se cada vez mais. O Captain desceu à cabine e pediu ajuda pelo rádio. Em poucos segundos apareceu a lancha de S.O.S (andam várias nesta zona) e recolheu o náufrago.
O tempo estava tão bom com vento, que quando chegámos à ilha, o captain perguntou-nos se não queríamos velejar mais um bocadinho. A resposta foi unânime: Siiiiiimm! :-) e assim demos a volta à ilha. Foi a única oportunidade que tive de estar tão perto da água (e para não repetir!), pois ia no lado do barco que estava mais inclinado. Eu e o Captain!
Era a Sandy que ia a conduzir. Nunca fiz tanta força para me segurar, caramba!:-o além dos meus mais de 60kg de peso, mais a roupa, imaginem o que foi segurar-me!!
(tenho que começar a fazer umas Push-up - flexões, para fortalecer os meus músculos dos braços, que isto não está bom! hehheeheh)
A ilha é pequenita, mas muito bonita e agradável, com muitas estátuas, em madeira, nativas (a lembrar aquele filme da Ilha da Páscoa em que eles construíam aquelas estátuas enormes) e cheia de raccoons.
E o que são raccons? Consultem o oráculo (google) que ele vai mostrar-vos o que são estes animais, típicos da América do Norte e Central.
Ouvi com cada história sobre estes animais, que têm um faro incrível, que vão direitos à comida, que conseguem abrir tupperwares, que com a boca e as unhas rasgam sacos e as tendas se guardarmos lá comida dentro.
Enquanto montávamos a nossa tenda, no lugar reservado para o grupo (haviam mais grupos na ilha), estavam uns senhores sentados numa mesa próxima só a contar histórias sobre estes animais. Eu repeti inúmeras vezes: Não podemos deixar comida nas tendas! Eles vêm cá.
E só aparecem de noite, de dia é raro vê-los. Aliás, a organização, na folhas com as regras para este passeio, escreveu em letras grandes: Não deixem comida dentro das tendas por causa dos raccoons! Eles forneceram um lugar seguro para guardarmos a comida.
Depois das tendas montadas demos a volta à ilha, a pé, por trails. Vejam as fotos. Muito bonitas! Foi um passeio de dificuldade média, mas muito bom, pudémos observar vários tipos de árvores, muitas Magnólias. O chá desta árvore é delicioso!! hmmmm...hmmmmm! :-)) Nesta caminhada o nosso guia foi o Senhor Dennis, que está num dos vídeos a dizer: Sounds so Good! ele tinha um sotaque do Texas, assim à cowboy! era tão engraçado! Muito simpático e educado.
Depois da volta à ilha, a tarefa que nos atribuíram foi ajudar na preparação do jantar. Todos os participantes tinham tarefas, outro ponto alto! havia muita gente a preparar o jantar: salmão e bifes. Eu e a Raivinhas fomos para o salmão na grelha, que estava muito bom, mas os bifes também tinham um óptimo aspecto.
Cortámos as melancias. Foi esta a nossa tarefa. Eram o petisco antes do jantar. Um corte perfeito, suave e muito convidativo, como podem ver pelas fotos. Havia muita fruta, mais bolachas, e muito mais para entreter o estômago antes do prato principal.
Fizeram muita salada com tudo o que podem imaginar, até com queijo de cabra que foi o suficiente para me deixar um pouco enjoada e mal comi depois disso. Eram 18h30 quando o salmão ficou pronto, jantámos bem cedo. Depois, o programa era de interacção entre o pessoal, com vários jogos!
--
Ai... vcs nem imaginam a quantidade de jogos de cartas que eles aqui têm! Um perdição completa, completa!! que vício.... hehehehehe
--
Mas eu não participei, a volta à ilha deixou-me bastante cansada e às 20h00 da noite já estava na tenda, dentro do saco-de-cama a preparar-me para dormir. Nem levei despertador, não era preciso, pois por volta das 5h da manhã (estava tão cansada que nem tirei o relógio para dormir) os passarinhos começaram numa chilreada bastante grande e a partir dessa hora ia dormindo e acordando. O pequeno almoço foi das 7h00 às 9h00.
Infelizmente não vi nenhum raccoon, mas a Raivinhas, depois que me fui deitar, viu um lá perto da nossa tenda. Eu ainda a ouvi dizer: está aqui um!! Go away!! :-)) Elas levaram a comida da tenda, mas deixaram umas cookies. Eu não senti nada e eles não foram lá. Uffff! que alívio! heheheh
Ao pequeno-almoço, nem vos conto!! Comi tanto, tanto, o meu estômago parecia um saco sem fundo!! E não fui só eu, a Raivinhas sentiu o mesmo!
E olhem só o nosso pequeno almoço: chá, café e leite, mais panquecas (acabadas de fazer) com maple syrup, frutas (vários tipos), salsichas: normais e vegetarianas, ambas em forma de hamburguers - mas eram salsichas, garantiram-me! e ovos mexidos, também acabados de fazer, com tudo:pimentos, espargos verdes,... uma delicia!! Tudo uma delicia!!
Depois do pequeno-almoço, fomos desmontar as tendas (o que o Josh, que ficou mesmo ao nosso lado, fez num abrir e fechar de olhos! só queria que vcs vissem, eu estava pasma!), colocar as coisas no barco e dar uma espreitadela na parte nativa, que estava fechada. Esperámos pelos sacos com o almoço, que estava a ser preparado: duas sandes que escolhemos quando nos fomos inscrever e pagar (sandes de peanut butter com jam - manteiga de amendoim com compota, vegetariana, de perú e de roast beef - 4 tipos que poderíamos escolher), um sumo, uma barra de cereais, umas crackers de queijo e umas chips de milho. Os almoços ficaram prontos, fomos buscá-los, carregámos o barco e levantámos âncora.
A viagem para Seattle correu também muito bem. Fomos conduzidos durante bastante tempo pela Li, que só algum tempo depois relaxou e deu um sorriso, tal foi a responsabilidade de ter um barco nas mãos :-p, e passàmos por vários barcos à vela e um porta-contentores que estava bem perto, bem perto, como podem ver pelas fotos! E deixou uma ondulação que meteu respeito! ;-)
E lá chegámos ao WAC, sãos e salvos, muito contentes, bem-dispostos e "coradinhos"! hehehehe
Ainda hoje tenho a marca no nariz, andei a colocar creme nívea, daquele do boião azul (mais gordo), a semana toda, mas a pele caiu um pouquito, mas não muito.

Foi um fds muito bom, agradável, e revigorante!! :-)
De vez em quando vale a pena fazer algo assim, diferente, experimentar novas sensações!

Acho que este foi o "post" mais longo que escrevi, que horror! hehehehe
Espero que gostem das fotos!

(como alguém que eu conheço costumava dizer)
Abracinho!
:**

PS1 - algumas fotos não são bem o que parecem! hehehehe (blush) (angel)
ai.. Jesus! (esta também não é minha, mas fica aqui bem!)

PS2 - O "post" da Universidade de Washington foi actualizado! dêem uma espreitadela ;-)

1 comment:

valentina said...

suzzzzzzzz

não aguentei ler até ao fim! nem ver todas as fotos!

ROÍ-ME de inveja... tenho muitas saudades de estar no mar (a bem dizer aqui enfiada atrás da floresta negra... tenho saudades de sentir o mar perto, seja dentro seja fora dele!). foi por esta razão que não fui capaz de terminar de ler ou ver as fotos... sorry, dôr de cotovêlo é lixado :P :D