31 May, 2008

Situações estranhas... parte 2.

continuação da saga.... (que ainda não tem nome).

Hoje o protagonista é o cão.

Este cão dá-me a volta à cabeça! ;-) (no sentido literal) e não só.. dá-me a volta ao quarto, à roupa e acaba sempre por me deixar num estado de nervos (não esquecer que Marte ainda está em Leão), ainda por cima eu que gosto tanto de animais de estimação.... há aqui qualquer coisa de errado.

A 1ª vez que conheci este cão foi no Natal passado, ainda eu não morava nesta casa, mas a pedido do dono vim fazer o famoso housesitting, que é, nada mais nada menos, que tomar conta da casa enquanto os donos estão fora. Eles foram passar o Natal ao Texas, a outra rapariga foi para casa da família na costa leste e como era muito caro levar o cão, ficámos só eu e ele durante uns dias até ela voltar (e depois dela voltar continuámos só eu e ele, se é que me entendem).
E para tornar as coisas mais excitantes, foi uma relação ditada pelas regras: tem que ser passeado de manhã até por volta das 10h e ao entardecer, come 2x por dia e na 1ª tem que ser assim e assim, e dp à noite assim e assado. Lá tive que ajustar o meu horário por causa do bichano, mas até foi com gosto, porque ele é realmente um querido, só cheirava era muito mal.... a altura dele dá-me acima do tornozelo (é um cão baixinho) e conseguia adivinhar onde ele estava só seguindo o cheiro que ficava onde ele passava.
ele nessa altura usava um tótó na cabeça... se não usasse não via nada, e mesmo com o tótó eu tinha alguma dificuldade em ver-lhe os olhos (ainda hj tenho e ele tem agora o pêlo curto).
Os primeiros dias não correram nada bem.... acho que nunca vi um animal tão triste na minha vida... ficava quase todo o dia sentado à porta do quarto a olhar lá para dentro para o vazio, mesmo de noite nunca saía de lá e gania. Comecei a ficar seriamente preocupada e pensei mesmo até telefonar à dona, pois ele deixou de comer.
A pouco e pouco lá voltou ao normal. Quando ela voltou do Natal pude ver com os meus próprios olhos um cão minúsculo saltar quase até à altura da ancas, o pobre do bicho estava mesmo contente e muito, muito saudoso. Ela lá lhe fez umas festas: Hi buddy! e ele que não se aguentava nas patas de tão contente, corria, ou melhor escorregava de um lado para o outro, uma loucura, que durou umas horitas, pois ela voltou a desaparecer.... várias vezes.

O que me apercebi desde que as coisas voltaram ao normal é que as regras que o cão "precisava" ela nunca as cumpre, faz o que bem lhe apetece quando lhe dá na telha, isto é, o cão tem o ritmo dela..... claro, já estão a pensar e eu também, andei eu toda preocupada com o bicho, com os passeios dele, com a alimentação dele até com a tristeza dele (até conselhos pedi...) ... enfim.

A partir dessa altura o cão começou a associar-me a comida e a designar-me por "a outra" (ainda por cima eu que não gosto nada destas designações, ou sou a 1ª ou nada feito, por isso tive que ter uma conversa séria com ele para lhe mostrar quem manda, mas adianto-vos que ela- a dona- levou a melhor, afinal são 8 anos de o manter sempre fechado no quarto com ela, na WC também, dentro da mochila quando ela vai para as montanhas, isto é, ele não conhece outra 'espécie'...).
A parte da comida começou quando ele vinha esbaforido do passeio e ia a escorregar directo para o prato da comida.... vazio... nada de nada. Uns minutos mais tarde.... nada de nada.... corria directo para mim, sempre de volta das minhas pernas (geralmente apanhava-me na cozinha a cozinhar) ou sentava-se mesmo junto a mim, sempre a lamber o focinho e eu pensava "que raio de dona foste arranjar rapaz!" Are you hungry? dizia eu alto, mas nenhuma reacção do lado do quarto dela.
Houve uma vez que cheguei a dar-lhe um bocadito de nabo (descobri que adoro nabo cru, aquilo é Viciante, NÃO COMAM!) porque ele não me deixava em paz.... e não é que ele lambeu o bocadito todo?!?! não estava a acreditar.....(para a próximo experimento com cenoura... aguçou-me a minha curiosidade científica, mas para dar certo as condições iniciais têm que ser as mesmas, isto é, tem que vir esfomeado!)

depois de algum tempo ele lá percebeu que eu não lhe ia dar nada e deixou de vir ter comigo, afinal temos que cuidar das nossas responsabilidades, é ou não é?

até que na semana passada, a semana do banho (não vou falar de limpezas, prometo, prometo, prometido, já esqueci...) aconteceu algo ainda mais estranho..... que vou deixar para a parte 3, porque esta já vai longa e depois eu não tenho paciência para ler isto :-)

até já {**

No comments: