22 January, 2009

O meu diario, pagina 1.


Eu sou a maior fa deste blogue :)
Para vcs ate' pode ser e deveria ser uma conclusao obvia, mas confesso que leio o que escrevo vezes sem conta, que adoro escrever e invisto muito da minha energia nisso, que os assuntos nao se esgotam, mas que principalmente eu vejo este blogue como um diario de uma fase da minha vida que eu quero recordar sempre!

Este artigo que deixo aqui tem como unico objectivo o seguinte:



sempre que pensar em desistir do Tango, venho ca' le-lo :)


******

Ontem mais uma aula de TA.


Fui para a aula sempre a pensar que depois deste curso iria desistir do Tango, ou pelo menos, deixa-lo por uns tempos e voltar novamente quando sentisse vontade de o fazer.

Tudo na vida tem um tempo certo para acontecer, e eu sei disso melhor que ninguem.

Tive que desistir do estilo Nuevo, porque ja' nao conseguia conciliar 2 estilos ao mesmo tempo, sem contar com o Milonguero com o qual todos no's iniciamos a aprendizagem do Tango. O estilo que danco agora requer muita energia fisica, concentracao e pratica, tem muitas rotacoes e passos grandes, que para as mulheres sao feitos em saltos com 7cm (ou mais) de altura.


Desde Dezembro do ano passado que outras ideias povoam a minha cabeca, de me concentrar mais em mim mesma e nos meus objectivos, nao os exteriores, mas os interiores, aqueles dos quais ninguem fala.

A danca comecou a ficar de lado.
Deixou de parecer encaixar-se neste mar pelo qual decidi navegar.

Deixei de ir a quase todas as praticas; recebia sms, emails e telefonemas a perguntar o que se passava, um dos meus colegas que treina comigo quase desesperou de tantas vezes que cancelei os nossos treinos, nunca inventei tantas desculpas em toda a minha vida, isto porque ninguem entendia quando eu dizia : "It's not the right time for Tango. I really have to slow down."

O que me preocupava nao eram as perguntas deles, embora eu sentisse saudades de dancar com eles, de estar com eles, de me sentir feliz e linda quando danco; aquilo que me preocupava era a minha indecisao em tomar uma decisao.

E este novelo de pensamentos, que parece interminavel, a dificultar ainda mais a tomada da tal decisao.


Forcei-me a inscrever no novo nivel do estilo que agora estou a aprender.

Ja' tinha faltado a uma aula deste nivel, porque decidi que, nesse dia, tinha que terminar a integracao da equacao diferencial ordinaria na qual estava a trabalhar.

Nao fui.
Mas atingi o meu objectivo: integrei a EDO e obtive os perfis da corrente ascendente.


Mas para esta nao tinha 'desculpa'.
As noites tem estado gelidas aqui em Seattle, ha' semanas consecutivas com nevoeiro, temperaturas abaixo dos zero graus Celsius 'a noite.
Custa sair de casa, depois de um dia de trabalho e todas as preocupacoes relativas a ele nos ombros, e apanhar o autocarro para ir ter aulas.
Nem me arranjei.
Nao tinha vontade.
So' coloquei um top casual caso sentisse calor e tivesse que tirar a camisola que levava por cima.
Nada de make up, nada de nada.

Entrei na aula assim.
Meio esperancosa que algo acontecesse que me fizesse mudar de ideias.
E.... aconteceu!
A resposta pela qual eu esperava foi me dada: Nao! Podes abrandar o ritmo, mas nao vais desistir.


A aula de ontem foi a
M-E-L-H-O-R aula de que tenho memoria.

Foi la' que eu percebi que a minha decisao de fazer yoga caseiro antes de vir para a univ., de manha, foi outra das melhores coisas que podia ter feito por mim mesma.
--
[Sabio mantra da L. Hay: "I Balance My Life Between Work, Rest and Play. They all get Equal Time."]
--
Toda a minha postura fisica esta' diferente, em tudo, e o que eu notei logo foram os meus abdominais a fazerem todo o trabalho de me manter direita e equilibrada durante toda a danca. A coluna e as ancas estavam livres e relaxadas.
Isso facilitou, e muito, o papel dos 'leads', dos homens que nos guiam.

Foi ver isso estampado nas expressoes deles que me disse que ainda nao era a hora de partir.
Recebi elogios emocionantes de todos os 'leads' com quem dancei nessa aula.
Eles ficaram e dancaram visivelmente contentes.

Alguns deles eram/sao estudantes bem mais avancados, que dancam TA ha' anos, e nao ha' 1 ano e meio como eu, e que sao altamente selectivos nas 'follows' que escolhem para dancar. Eu sei disso porque os observo muito.

Eu reconheci o meu valor nessa aula, coisa que, 'as vezes, ainda teimo em nao fazer.

Reconheci a paixao que me guia quando acredito em algo e desejo aprender mais para me superar a mim mesma, e nao em relacao aos outros.
Reconheci que isto tem mesmo muito valor para mim, embora a minha mente teime em me dizer exactamente o contrario.


'E este meu Amor que me torna diferente das outras mulheres que la' estao, 'e esta minha paixao que faz com que eu esteja um mes e meio afastada da 'Tango scene' e volte como se nunca tivesse partido.
Sao estes sentimentos que me enchem de forca e coragem para continuar e que me dao uma alegria que eu nao sou capaz de explicar, mas que sinto imensamente ca' dentro.

E por tudo isto, eu vou continuar como se nao houvesse fim, um fim que se anuncia no final deste ano e que ja' comeca a ser dificil reconhecer e falar.

Seattle, 23 de Janeiro de 2009.


No comments: