16 February, 2009

Go Dawgs!

[onde estão as fotos? Já sabem…. no sítio do costume!]


E vamos recuar ate' Novembro de 2007. :)

Este ‘post’ é dedicado à minha AMIGA Catarina. Cat, é para ti! :)

Conheci a Catarina, num encontro do FIUTS, a Fundação Para os Estudantes Internacionais aqui na Universidade, pouco tempo depois de ela ter chegado a Seattle, estávamos em Setembro de 2007. Ela viu o meu nome na lista de pessoas que iriam à Fremont Fair nesse fsm.
Estava muito frio e chovia nesse dia. Acabámos todos num dos melhores cafés de Fremont a tomar lattés :) e descobrimos que até morávamos bem perto uma da outra, quando eu ainda estava na 21ª avenida.
Foi uma surpresa encontrar um português através do FIUTS, é como encontrar a agulha no meio do palheiro, literalmente.

A Cat veio até Seattle, através de uma colaboração entre a Univ. de Barcelona e a UW, no âmbito do seu doutoramento.
Uma mulher com bastante maturidade dentro dela, muito trabalhadora, uma mulher de valores e de carácter, e com bastante sentido prático das coisas.
Os 3 meses de convivência foram com um bálsamo, de repente apareceu alguém ‘de jeito’, que tinha uma opinião própria sobre os assuntos, cujo a critica não fazia parte do discurso, em vez disso, procurava soluções, e mesmo num ambiente hostil para os estrangeiros, não baixou a cabeça.

Aprendi muito nesses meses e continuo a aprender (a distancia que separa as pessoas so' 'e importante quando se quer), partilhei ainda mais e foi nessa partilha que conheci alguém que valorizou a minha experiência e aprendeu com ela. Não a arremessou e deitou fora, não a desprezou, não diminuiu, colocou-a como um nota se coloca ao lado de um parágrafo para mais tarde lembrar se for necessário. Uma pessoa que me incentivou sempre a acreditar em mim, mesmo quando as situações nos fazem lembrar que somos sempre estrangeiros, que estamos longe de um local onde, um dia, nos movimentamos como peixe na água, independentemente das adversidades lá vividas.
Uma pessoa que me mostrou que os objectivos são para ser alcançados, no matter what. :)
Uma pessoa que respeitou o meu espaço e como tal recebeu exactamente o mesmo de volta.
Uma pessoa que tinha sempre ideias de coisas para fazer/ver e me “desviava” do minha atitude de 90% do tempo é no gabinete.
E foi numa destas situações que fomos ver um jogo de basquetebol da universidade. Dawgs contra… já não me lembro, mas acho que era uma equipa de Olympia (capital do estado de Washington). Bilhetes comprados online, aí vamos nós para a arena.
Damos uma espreitadela, tudo com um ar novo, limpo e grande, fizemos um reconhecimento da zona, uma ideia onde era os lugares que nos atribuíram e aí fomos nós… comer!
Uma chicken caesar wrap, que é uma tortilha onde vem enrolados bocadinhos de frango, alface e mais outros vegetais, cobertos com o molho Caesar. Bastante bom, bastante grande e a transbordar… eu levei a 1ª metade inteirinha do jogo para acabar a sanduíche.

Quando fomos para os nossos lugares, descobrimos que o computador nos tinha atribuído um lugar ao pé do tecto! (confirmem pelas fotos)
Estávamos tão lá em cima, que me fazia um pouco de impressão olhar para baixo e movimentar-me.
Aguardamos o início do jogo para ver se teríamos vizinhos, mas como não apareceu ninguém, mudamos para 2 filhas mais abaixo e ali ficamos a comer e a assistir.

Mesmo ao pé do campo estava a claque dos Dawgs, com tudo o que vcs possam imaginar e claro está as cheerleaders, com as suas acrobacias e esquemas dançantes :) !

O primeiro momento alto da tarde deu-se na apresentação das equipas: quando o locutor começa a chamar os jogadores da equipa contrária, a cada jogador chamado, o pessoal da claque dos Dawgs virava as costas e gritava : “Who cares!”
Ficámos atónitas a olhar para eles – fizeram isto para todos os jogadores da equipa contrária!
Aos jogadores da universidade era uma barulheira tal que não se percebia nada!
São mesmo fanáticos!

O segundo momento alto deu-se no início do jogo, quando uma rapariga, no meio do campo, começa a cantar o hino da equipa. A rapariga desafinou bastante, os agudos magoaram!
Eu de olhos esbugalhados e boca aberta, só consegui dizer: “Meu Deus, o qu’é isto?”

Chegou-se ao intervalo e os Dawgs já levavam uma grande vantagem.
A esta altura estávamos muito descontentes com o lugar atribuído e começamos a magicar mudar de bancada e ir misturar-nos com os vip’s e ficar mais perto do campo.
Assim o pensámos, assim o fizemos.
Confirmamos uns lugares vazios desde o início do jogo, colocamos o nosso melhor ar de pessoas vip, fãs do basquetebol, e aí fomos nós, direitinhas aos lugares com um ar de quem controla a situação toda.
O pior que podia acontecer era ter que mudar de lugar de novo.
A 2ª parte do jogo começou já connosco sentadas no meio dos vip’s.

Eu de máquina em punho (observem as diferentes alturas nas fotos tiradas), contentíssima por estar mais perto campo e poder tirar fotos espectaculares, atraí logo as atenções dos seguranças – por estar tão perto: não é possível tirar fotografias com flash, pois o flash pode distrair os jogadores. Bolas!
Não desisti, só desliguei o flash. ;)

E uns minutos depois acontece o Grande Momento da tarde, protagonizado por mim mesma e que levou a Cat às lágrimas de tanto rir!
Os Dawgs levavam uma vantagem assustadora. Estávamos naquela parte do jogo em que situações de tensão começam a surgir entre jogadores das duas equipas.
Eu comecei a sentir-me um bocado frustrada, não gosto de ver jogos em que uma das equipas tem o jogo assegurado desde cedo, gosto de ver ambas as equipas a lutarem para chegar ao fim.
Houve uma altura em que “deixei a terra e voei”.
O problema foi que os meus olhos ficaram lá e comunicavam ao meu cérebro o que viam.

Começou a jogada mais fantástica de todo o jogo, um contra-ataca da equipa contrária.
Uma belíssima jogada, a melhor de todas e ainda fora da grande área, aquele jogador ganha impulso, ergue-se no ar e lança a bola ao cesto.
No momento em que ele lança a bola, o silêncio instalou-se nas bancadas, o ambiente parou, a respiração susteve-se, e eu, perdi a noção de que estava entre o Dawgs Vip’s, ergo os braços, aproximo as palmas das mãos pronta para bater palmas, e no exacto momento em que a bola voa em direcção ao cesto, eu bato as mãos uma na outra, ganho consciência de onde estou sentada e aperto as mãos com toda a força ao mesmo tempo que contraio o meu torso para não bater mais palmas.

Fiquei assim contraída, de mãos apertadas em frente ao peito, como se estivesse a rezar, olhos e dentes cerrados, uns bons segundos até que a minha mente me dissesse que já estava segura para voltar ao meu normal, sem que ninguém percebesse que eu estava pronta a bater as palmas a uma jogada da equipa contrária! Por mais bela que fosse a jogada!
Ainda eram capazes de me expulsar dali! Hehehehehehehe

A Cat reparou quando eu levantei os braços e depois…. quando olhei para ela, ela estava toda encolhida, ao meu lado, a rir-se perdidamente, com os olhos cheios de lágrimas!
Eu voltei ao meu normal, soltei um aliviante ufffff, “that was close!”, a Cat ainda ria. :D

Depois de uma tarde tão emocionante, em que aprendi o significado de ter tantos planetas em signos ar :-p , de haver momentos na minha vida em que, inexplicavelmente, situações estranhíssimas acontecem por não ter a cabeça no lugar, por estar ‘ausente’ da Terra.
E não vou referir aquela vez em que, por não ter os óculos postos, confundi vernizes com carrinhos de linhas de coser, completamente convencida que a loja de arranjo de unhas era uma costureira! Imaginem a expressão da pessoa que estava comigo…. Hehehehehehehehehehe

Mais videos na minha conta do YouTube - Sao Francisco, Pike, Basquetebol, Huskies, Aosta, Blake Island, Bowling - sao muitos, a qualidade nao 'e a melhor, sorry :)!

Deixo aqui o 1o video do hino, se estiverem atentos ate' me ouvem a falar :)




E hoje, à moda da Cat:
A big big hug! :}**

(Um beijinho grande para ti, Amiga!)

No comments: