30 April, 2009

Cegonhitos and more :)

Hoje nao 'e 4f, eu sei, mas nao resisti a escrever mais este 'post' para partilhar com vcs um pouco da alegria que mora ca' dentro (muito ajudada pelo ceu azul e o Sol brilhante aqui em Seattle).
Enquanto estou eu horas e horas encafuada num gabinete, a Natureza segue o seu ritmo la' fora.

E aqui vos deixo um video espectacular do 1o cegonhito (ja' sao 2!!) das Cegonhas Pretas que nasceu ontem. O ninho esta' no nosso Portugal, nas Portas de Rodao:



E outro momento delicioso entre a Bia e o Seb :).
O Seb virou-se para ela e disse, em linguagem de cegonha: "Olha, agora vou passar 'a volta do teu pescoco, esta' bem?" :)



29 April, 2009

Orlando :)

Que dia é hoje? :)
hoje é 4ªf, dia de publicar no blogue!! - isto é para ver se agarro uma rotina de escrever e manter este meu projecto de pé, e a meio da semana parece-me bem, porque aos fim-de-semanas quase nunca tenho tempo para preparar algo interessante para pôr aqui :)

Então, venham comigo! venham comigo até Orlando, no estado da Florida.
Vamos viajar no tempo até Abril de 2008, há precisamente um ano estava eu lá, na conferência sobre Furacões e Meteorologia Tropical da Sociedade Americana de Meteorologia (AMS), para passar uma semana muito boa!

--
fotos? onde estao? existem? sssssiiiiiiiiiiiiiiiiimmmmm ..... estao la' no Cantinho das Recordacoes! :)
--

Esta conferência foi uma conferência da qual tinha ouvido falar desde que cheguei aqui a Seattle: o meu orientador vai sempre e mesmo não estando em Seattle nessa altura (ele estava em Zurique) aconselhou-me vivamente a ir, a apresentar o meu trabalho e mesmo estando longe, disponibilizou-se smepre para me orientar com a apresentação.
Sim, porque foi mesmo uma apresentação oral! Foi um teste e tanto! e eu, com a minha escala de apreciação muito estreita, isto é, sendo exigente comigo mesma, posso dizer-vos que consegui superar todos os meus medos e fui em frente.
Quando me registei para a conferência, registei-me como comunicação oral, mas a conferência é tão concorrida - para vos dar uma ideia, todos os autores dos artigos que tenho vindo a ler para o meu trabalho estavam lá!! querem maior honra que esta ? ;) - que me colocaram como poster.
Fiquei triste.
Queria muito, muito, apresentar o meu trabalho oralmente para uma audiência de qualidade, queria ser capaz de ultrapassar os meus próprios obstáculos, as minhas próprias limitações, de falar, explicar, discutir, clarificar o meu tema numa língua que não é a minha língua natural, num curtíssimo espaço de tempo. Queria vencer os meus medos, queria saber se a minha estadia aqui estava a dar resultados.
Foi uma 'recuperação' lenta, mas lá me conformei.
Se aconteceu assim, por algum motivo Divino foi e vou acreditar.
2 dias antes da viagem para Orlando, fui buscar o poster e quando voltei tinha um email da organização que dizia, em 3 linhas, que tinha havido uma desistência e que eles me tinham seleccionado para apresentar. Queriam saber se eu aceitava.
Se eu aceitava???????? claro que SIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIMMMMMMMMMM! sim, sim, sim, sim, sim!!!! mil vezes SIM!!
Fiquei num tal estado de excitação que tive que ir arejar umas boas horas, não conseguia ficar quieta nem parada e a minha concentração para trabalhar tinha apanhado o Expresso para o Espaço! no sentido literal! :-D
Quando voltei a mim mesma entrei em 'stress' por causa da apresentação, mas como já tinha o poster, nem foi muito difícil.
Valeram-me muito os conselhos do meu orientador, que via electrónica me ajudou a orientar a apresentação e a cumprir o tempo de 10 minutos para falar, mais 5 de discussão.
10 minutos é um desafio, garanto-vos!

Tudo preparado e aí vou eu!
A chegada a Orlando foi deliciosa. Sabem porquê? imaginem lá..... estavam umas temperaturas tão quentinhas! deixar o frio e a chuva de Seattle por uns tempos e sentir o calor e o Sol na pele foi muito bom. Estava muito necessitada de Sol!

O hotel ficava na International Drive, apanhei aquelas carrinhas vans que levam as pessoas directamente aos sitios onde elas estão hospedadas.
O hotel era Espectacular, cheio de palmeirinhas, piscinas, relva e ..... lagartixas! Muitas lagartixas!
Vocês sabem que quando cheguei ao hotel, fui buscar a chave e um rapaz veio buscar-me com aqueles carros de golfe e levou-me até à porta do meu quarto. Muito simpático e muito falador. Coloquei as minhas malas, troquei de roupa e saí para explorar o espaço. Queira sentir o Sol.
E estou a andar, os meus olhos ainda meio ofuscados pela luz solar começaram a captar movimentos muito rápidos no chão, pareciam sombras que desapareciam. Durante uns minutos não consegui processar bem a informação do que estava a acontecer até que de repente se fez luz na minha cabeca e eu parei.
Parei e olhei bem para o chão.
E lá estavam elas ou eles, as lagartixas. Eram da cor do chão, confundiam-se com o chão, por isso é que eu só via sombras a desaparecer, elas já lá estavam quando eu passava. Assustavam-se e fugiam.
Houve uma vez que estava a tentar fotografar uma quando um rapaz aparece. Só levantei a mão para ele parar e não fazer barulho. Ficou quieto como uma estátua! :)
E... consegui fotografa-la.

Até ao dia da apresentação não consegui sair muito para explorar a zona. Estive sempre muito empenhada em ensaiar e a controlar o tempo. Só relaxei mesmo depois do evento.

Orlando é uma cidade turística.
Não cheguei a conhecer bem a cidade, pois a downtown ou a baixa não ficava perto da zona do hotel. O hotel estava localizado na avenida dos hotéis, se assim posso chamar, na zona mais turística que dava acesso à Disney World, ao SeaWorld, ao Discovery Cove e afins. Existe um autocarro especial que faz a ligação entre todas estas atracções e os hotéis.

A minha primeira dificuldade foi em comer.
Andei que me fartei, com um mapa de restaurantes na mão, à procura de um que servisse um prato que fosse vegetariano. Nada! Nicles, rien de rien! zero!... ai... que saudades de Seattle! :)
Tudo o que via nos menus era carne, carne, carne e peixe = caranguejos, santolas, lagostas e afins. Estou feita! pensei eu.
Depois de uma grande volta, resolvi entrar no que estava mais perto do hotel e que não tinha o menu à entrada e falei com as senhoras e expus o meu problema. Disseram-me logo que não conheciam nenhum restaurante vegetariano na zona. Oooh God!
mas dispuseram-se a ajudar-me, falaram com o 'chef' do restaurante que preparou umas espetadas vegetarianas para mim, no churrasco!
Quando eu vi o tamanho das ditas... percebi logo por que é que eu já tinha visto mais pessoas com excesso de peso do que todo este tempo de estadia em Seattle.
Posso dizer-vos com toda a tranquilidade que os americanos comem muito!
É verdade, eu já comprovei este facto!

Passou-se a apresentação que correu bem, cumpri o tempo e respondi às perguntas, umas das quais feitas por um antigo aluno de doutoramento do meu orientador e que é Professor em Miami e com o qual tive o gosto de conversar descontraidamente no jantar 'oferecido' pela sociedade, nessa noite. Excelente pessoa.

No dia seguinte, com o itinerário já estudado rumei ao Sea World.
Ou era o Sea World, com os golfinhos, a Shamu e mais vida marinha ou a Disney World. Eu escolhi o Sea World. A razão principal é porque tenho passado muito tempo da minha vida confinada a um gabinete, em frente a uma máquina eléctrica a tentar compreender a ..... Natureza :).
Desta vez eu queria estar perto dela, perto dos animais, sentir uma outra energia, queria sentir vida em vez de ilusão ou histórias de encantar.
Em 2º lugar, a Disney World é composta por 4 mundos e não vos vou dizer o preço de cada mundo porque é outra hstória de encantar ;) .

Foram horas muito boas passadas no Sea World.
A experiência que guardo no coração aconteceu na Nursery dos Golfinhos, na maternidade. Nessa piscina, as mães golfinhos dão 'a luz e acompanham as crias, juntamente com outras mães golfinhos ate' elas terem uma determinada idade. É lindo vê-los saltar!
Quando lá cheguei, as tratadoras estavam a dar-lhes de comer e as pessoas estavam um pouco chegadas a elas para conseguirem vê-los. Depois dispersaram-se e eu fiquei ali mais à sombra. Esperei uns bons minutos, pois o som das pessoas na ponta oposta atraía-os.
E de repente.... apareceu um mesmo à minha frente!
Ficou ali o que me pareceu uma eternidade!
O meu coração disparou e eu estava profundamente dividida em apertar o botão da máquina fotográfica e falar com ele/ela! :)
Fez que sim com a cabeça várias vezes, disse-me adeus com a barbatana, chapinhou e foi à vida dele.
Como eles dizem aqui: this made my whole day!!!

O Sea World é enorme, seguiu-se o show das orcas, muito bom também.
É possível observar as orcas e os golfinhos nos tanques, embora eles não nos vejam porque os vidros são espelhados, o que significa que eles vêem-se a eles próprios dentro das piscinas e a nossa presença não os perturba.

E fiz festinhas num golfinho!! hehehehe a pele deles parece-se com uma borracha humida. Sao tao brincalhoes!

Só não consegui ver a parte dos tubarões. A fila para entrar era tão grande que não percebi bem onde terminava!
Havia muitas seccções onde se podia comprar comida para alimentar os animais, como no caso dos golfinhos e dos leos marinhos. O problemas dos leoes marinhos é que as garças também lá andavam e também gostam de peixe.... roubam a comida deles. Safadas!

Depois deste passeio ainda tinha mais coisas em mente para fazer, mas fui invadida por uma vontade enorme de me espreguiçar ao Sol e voltei para o hotel. Passei as últimas horas do dia na piscina e ao Sol. Experimentei a hot tub, com aqueles jactos de água muito quente, a temperatura era de 104ºF dentro da piscina que estava a céu aberto e que curiosamente não estava lá ninguém nessa tarde.
Soube-me que nem ginjas! Até parece que estava de férias :)

Aquilo que ficou por ver e que merece um retorno a esta cidade foi o Discovery Cove, que fica do outro lado do Sea World. 'E um projecto em que as pessoas passam umas horas dentro da piscina com os golfinhos, nadam com eles, tem contacto com eles, depois de terem instrucoes e formacao com os tratadores. Alem dos golfinhos que deve ser uma experiencia e tanto (!!), podemos estar com determinadas especies de aves, mergulhar nas cascatas e ver os recifes de corais. O preco disto ate' nem 'e muito elevado comparado com os mundos da Disney World e comparado com a experiencia e recordacoes que ficarao para sempre dentro do nosso coracao.
O Discovery Code 'e algo que devera' valer muito, muito a pena!


Um beijo e inté ao próximo sobre... uma miscelânea de coisas, no tempo e no espaço! ;)

22 April, 2009

Mariza

E vou escrever sobre algo que aconteceu.... na semana passada!
Uauuuu! um 'post' actual! Yes!

--
[fotografias a onde? Exacto... no Cantinho das Recordações!]
--

Na 6ªf, dia 17 de Abril, eu, o B., a A., o Drew, e mais tarde encontramos lá também o Alex. e a C., fomos todos ver a Mariza, a nossa fadista contemporânea, a actuar no Benaroya Hall, a casa da Orquestra de Seattle.
O Benaroya Hall is proud to present Mariza singing the "Portuguese Blues"!

Confesso que é um orgulho quando estas coisas acontecem. Dar a conhecer um pouco do meu país a um povo que, tem alguma dificuldade em saber onde se situam outros países.
O fado é alma e houveram momentos de grande emoção quando a voz dela, poderosa, firme, forte ecoava na sala e punha as nossas respirações em suspenso.
Como o D. disse: "Her voice just blows off my mind! Incredible voice!"

O encontro começou com um jantar entre nós, os que íamos assistir ao concerto.
O Drew preparou o jantar juntamente com o Bruno. As mulheres e mais um amigo deles chegaram já quando tudo estava pronto :). Foi macarrão salteado no wok com vegetais e frango no forno com molho de cebola. Estava óptimo!
E com um bom vinho a acompanhar! ;)
Comemos bastante rápido, porque tínhamos que chegar ao local do concerto a horas, senão corríamos o risco de não nos deixarem entrar.

Corremos para o autocarro (e como corremos!) e conseguimos chegar 2 minutos antes de ela entrar em palco!
Sala quase cheia, muitas nacionalidades presentes: Portugueses (Gente da minha terra, como ela tantas vezes disse), Espanhóis, Argentinos, do Perú, da Venezuela, do Brasil, e muitos americanos. Um texano la’ ‘a frente conseguiu uma foto com ela em pleno espectáculo!
Falou muito em Português durante a primeira parte do concerto, mas depois virou-se mais para o público americano que era o seu verdadeiro alvo, para divulgar o novo álbum.
Ensinou-lhes umas palavras em Português, contou o percurso dela, onde nasceu e como começou a cantar o fado. Tinha 5 anos, vivia com os pais em plena Mouraria, o bairro do fado vadio.
Explicou-lhes o que era o fado.

A voz dela ‘e magnifica – acho que todos se renderam!

Tivémos direito a um solo de bateria e percurssão que durou vários minutos que, para mim foi o momento menos positivo de todo o concerto, dado que o verdadeiro fado nao conta com a presença deste instrumento, mas temos que ter em conta o ambiente onde ela estava a cantar e que muitas das pessoas que ali estavam possivelmente esperavam algo mais virado para o jazz.
Tivémos também uma guitarrada, logo a abrir a segunda parte. Muito, muito bom!
Infelizmente não nos deram um solo de guitarra Portuguesa, esse instrumento tão especial e único do nosso país, da nossa tradição, da nossa cultura.
Este valeria muito a pena! O som da guitarra Portuguesa é Divino!

No final, ela dançou e encantou tudo e todos, e colocou a audiência em acção, com palmas e saltos.
Voltaram ao palco mais uma vez, para cantar uma série de canções e terminaram os 3: ela, a guitarra Portuguesa e a guitarra clássica, cada um com um pé em cima de uma cadeira, as guitarra em cima da perna e ela de mão na anca, a imitar como se canta tipicamente o fado.

'E nesta alturas que pensamos que a nossa cultura, as nossas tradições, são tão cheias de significado e que temos uma história riquíssima.

Adorei ouvi-la! Todos gostámos muito, apesar de sabermos que se tivesse sido em Portugal, público mais exigente, teria sido um pouco diferente. Mas o êxtase que tomou conta de nós foi algo difícil de sair :) e para resolver o assunto acabámos a noite no Tripple Door (mesmo ao lado do Benaroya Hall), um bar muito, muito conhecido em Seattle, a tomar um bom vinho tinto ao som de Jazz ao vivo!

Vale a pena conviver com pessoas assim!


Um beijo e ate’ ao próximo, que nos vai levar até outras paragens! :}**

Agulha Espacial :)

Estava aqui a pensar que titulo deveria dar a este 'post', em que vou dedicar algumas linhas ao famoso monumento de Seattle, e traduzir Space Needle para Português, soou-me giro :) e traduzido temos: A Agulha Espacial!

Cheguei a Seattle no dia 3 de Agosto de 2006, para uma estadia de 3 anos e meio e só no dia 8 de Dezembro de 2007 [sim... ainda escrevo sobre o que aconteceu em 2007 :-) ! ] e por intermédio da Cat é que visitei o monumento. Se não tivesse sido ela, acho que só iria visitar a Agulha Espacial no final deste ano, quando chegasse ao fim a minha estadia aqui.

As fotos estão no sitio do costume. :)
Infelizmente não estão grande coisa, isto é, estão menos boas do que o costume. Porque... a lente (ou lentes?) da máquina estava suja e a sujidade não era exterior, era interior. Quando utilizava o zoom era quando se notava mais, por isso é que aparece em quase todas elas uma sombra preta nas fotos.

Este episódio faz-me recordar outro que teve um final feliz.
Quando estive em Portugal, de férias, no verão de 2007, tentei resolver este problema da sujidade na lente da máquina. Ainda dentro da garantia, telefonei para os serviços técnicos da Sony para saber quais as condições e sou informada que levaria no mínimo uns 15 dias para arranjar, sem contar com os dias que levariam para fazer o diagnóstico do problema. Nesse ano, a minha estadia em Portugal foi curta (depois compensei no ano seguinte com 1 mês e meio de férias hehehehehehe), e resolvi adiar o problema.
As coisas começaram a complicar-se porque tiro muitas fotografias e ter a sombra em quase todas elas ou não utilizar o zoom estava, literalmente, a dar-me cabe do nervos e em Março de 2008 tomei a decisão de mandar a máquina para arranjar.
Depois de muito pesquisar e contactar online os serviços técnicos da Sony aqui na América, preenchi online o formulário, com descrição do problema e enviei a máquina para o Texas.
E, agora, segurem-se bem, porque, pude seguir online todo o percurso da máquina dentro dos serviços técnicos. Deu entrada nos serviços no dia 26 de Março e saiu 2 dias depois!! Chegou a mim 4 dias mais tarde, muito bem embalada e limpa - problema resolvido!
Em Portugal, levaria mais de 15 dias... enfim, pergunto-me para quê tanto tempo?
Eu nem queria acreditar que foi tão rápido e tão profissional da parte deles.


O Space Needle - http://www.spaceneedle.com/ + http://en.wikipedia.org/wiki/Space_Needle, foi construído para a Feira Mundial de 1962 e é um símbolo da cidade. Tem mais de 180 m de altura, uma loja grande na sua base, logo quando entramos e um restaurante com vista rotativa antes da varanda de observação, lá em cima, aos 160 m. Foi construído para resistir a terramotos e consegue suportar ventos muito fortes.
Estava um dia muito bonito quando fomos lá, mas um frio de rachar que se intensificou enormemente quando, todas contentes, pusémos o pé fora do edifício aos 160m de altitude!
O bilhete custou uns $12 (hoje custa $16, é a crise!) e assim que entramos temos a fila para o elevador que nos vai levar ao topo. Enquanto esperamos, tiram-se aquelas fotos já com o fundo preparado na parede, pelos fotógrafos que lá trabalham. São vários elevadores a funcionar e do lado de fora vêem-se os elevadores a subir e a descer.
Eu também vi, mas não associei ao facto de que dentro do elevador também podia ver as pessoas cá fora e isso levou a outra situação que ocorreu dentro do elevador.
Entrámos e eu encosto-me ao que parecia um vidro escuro, interior tipico dos elevadores modernos.
Começamos a subir e eis que, era vidro era, nem mais nem menos, uma janela que dava para a rua. E o elevador sai do seu 'casulo' para ficar à vista de todos até chegar ao topo. Eu não estava à espera de ver rua, principalmente a uma altura daquelas, e assustei-me lá dentro do elevador quando de repente uma luz forte aparece nas minhas costas e eu olho e vejo a altura a que estamos. Instantâneamente me chego para dentro e ponho a mão peito para me acalmar.
Só respirei de alívio quando chegamos ao cimo.
Estava muita gente lá dentro, lá fora só os corajosos, os curiosos, e os de luvas! :)
A varanda de observação é muito gira, vale a pena. A vista é maravilhosa, vêem-se os principais bairros da cidade, a downtown mesmo ali ao lado com os seus arranha-céus, o Monte Rainier suspenso no céu ao lado do Puget Sound. Tudo muito, muito bonito!
Depois de aguentarmos heroicamente o frio que fazia, depois de inúmeras tentativas para conseguirmos uma foto nossa decente, com os nossos sorrisos marotos (apanhámos com cada fotografo amador, que nem vos conto!), acabámos no café, mesmo lá dentro do Space Needle, a tomar um chá quentinho sob uma vista Espectacular!
Seguimos para o Monorail, uma espécie de comboio aéreo que nos leva do Seattle Center a downtown, mesmo no coração da baixa da cidade, no meio daquelas lojas todas que deixam qualquer mulher em estado de ansiedade :), para nos alimentarmos que a fome já apertava.

Ao clicarem no website do Space Needle, pode ver a vista panorâmica e a webcam.

Até ao próximo.... sobre Fado. :}**

17 April, 2009

Oops! I did it... again :)




Blueberry Scones ou Scones de Mirtilos, do livro The Joy of Vegan Baking da Colleen :)





Almond Pancakes ou Panquecas de Amendoa, da Ricky (Diet, Desserts and Dogs) :)
Muito saborosas, macias e muito saudaveis! Excelentes para um pequeno-almoco diferente ;)


Novidades :)
A Ricky esta' a fazer um "giveaway" do novo livro dela, o "Sweet Freedom: Desserts You’ll Love without Wheat, Eggs, Dairy or Refined Sugar", com todas aquelas receitas maravilhosas, docinhas e saudaveis que ela publica no blogue dela.
Esta 'e a minha referencia ao concurso, cujo vencedores sao escolhidos aleatoriamente, para ver se o livro vem, pelo correio, ate' mim!
Pessoal: tudo a torcer!
Fica a promessa, se ganhar, de fazer uma festa la' em casa, so' com as receitas dela! ;)



Spicy Mango Umeboshi Sushi ou como quem diz, em Portugues:
Sushi de Manga Picante com Ameixa Umeboshi picada :-D , inventado por mim!
Estava boooooooooooooooooooooooooooommmmm !



Bom fsm! :}**

16 April, 2009

O Meu Diario, pagina 8.



Um dia destes, num momento de relaxamento profundo, enquanto pedia mentalmente e secretamente, para me ajudarem a encarar a morte de um modo mais pacifico, mais calmo, sem lembrar tanto a dor que 'e causada pela partida de alguem, situacao que acredito, no mais fundo do meu ser, ser altamente temporaria e nao vejo a morte como um fim, mas como uma transformacao ou mudanca de estado, de volta ao estado de onde viemos, o estado Espiritual, tive este pensamento que muito sentido fez para mim:

"A morte 'e como um retiro espiritual.
Imagina, Susana, que a certa altura da vida, um familiar teu te comunica que vai fazer um retiro. Vai para a montanhas longinquas do Tibete. Ele precisa fazer isso, sente que 'e para o bem dele. Sabes que nao vai haver comunicacao, nao ha' telefones, nao internet, os correios nao chegam la'. Vivem unicamente la', com aquilo que a Natureza lhes da'. Tu confias nesse familiar, sabes que ele precisa deste retiro. Um dia tu tambem vais retirar-te e juntar-te a ele. E la', nas montanhas longinquas, poderao rever-se outra vez. Deixa-o partir.
E como nao chegou a tua hora, vive feliz ondes esta's, porque tens a certeza de que ele estara' bem."

11 April, 2009

Situações Curiosas V

Uma Pascoa Feliz !!

****

[e continuo com as situações curiosas que me acontecem (ram) no dia-a-dia]

A primeira é que estou apaixonada! :) verdadeiramente apaixonada .... pelo projecto das Cegonhas na Web!
hehehehehe
Desde que o Ruca me enviou o link para o projecto que tenho sempre a página aberta e envio, diariamente, centenas de olhares carinhosos para a Bia e o Sebastião.
Ultimamente tem sido mais para a Bia, o Sebastião está lá, mas mais acima e a câmera nao o apanha. Desde o acasalamento, à postura, ao 1º ovo, à invasão do ninho por um casal mais novo de cegonhas e a consequente luta pelo ninho, que resultou num acidente para a Bia, do qual ela saiu com uma pata magoada, mas já hoje recuperada. Perdeu-se o primeiro ovo, a tristeza atingiu quase todos os observadores do casal, pude confirmar pelos comentários.
Eu também comentei! 3 vezes! :) mas se conseguirem aceder aos comentários anteriores, digam-me, porque eu não consigo.
Infelizmente, devido à diferença horária só apanho o resto da tarde e a noite da vida desta cegonhas. Mas existem observadores do condoninho que disponibilizaram videos no youtube e explicações/comentários científicos em blogues. A comunidade está unida e em torcida para os 'piquenos' cegonhos/as virem!


Enquanto isso não acontece, vejo as 'aguias que já têm crias nos ninhos. Um casal na Virginia (VA) e outro em Oklahoma (OK), filmado em directo também. Um tem 3 crias, o outro tem só uma. É lindo ver o macho e a fêmea a trazeram a comida para o ninho para alimentar as crias. O macho do casal da VA, uma das vezes trouxe um peixe bem comprido para o ninho, fartei-me de rir com a situação. A vida selvagem no seu melhor!

É uma paz, uma tranquilidade ver estes animais desta maneira . Seguem a sua vida naturalmente, faz-me lembrar que a natureza está lá fora, viva apesar de eu estar horas a fio dentro de uma sala, em frente a uma máquina eléctrica. E fico com outro ânimo.
O mesmo acontece a outros observadores do projecto, incluindo familias inteiras, escolas, pessoas da Europa, Brasil e EUA (que eu me lembre). É uma nova forma educação para os miúdos e uma re-educação para os graúdos, sem sombra de dúvida!

Um beijo e uma Páscoa Feliz!

Situações Curiosas IV

Uma situação ou situações que ainda me causam admiração, mas por serem muito, muito, muitíssimo positivas é o tratamento que estas pessoas dão aos seus 'pets' ou animais de estimação.
Eles tratam melhor os pets do que, muitos de nós e deles também, tratam um familiar.

Desde levá-los aos sitios certos para eles, aos parques que têm zonas próprias para os cães e zonas permitidas para os cães poderem andar à vontade. E conduzem com os cães dentro do carro, a maior parte dos que vejo vão no banco de trás, com o focinho de fora da janela que foi deixada aberta para eles apanharem ar, enquanto os donos ou os condutores conduzem de luvas, gorros, cache-col e 'kispo'!! E esta hein?
E também já vi os cães serem transportados no banco da frente, também com a janela aberta e o condutor todo equipado para o frio. Claro que podemos pensar que pode ser perigoso, mas os condutores são cuidadosos, conduzem devagar, os aceleras descansam quando há cães ou crianças dentro do veículo... ou também quando chove ou neva :)
E têm comida vegetariana para cães e gatos!!

Enfim, uma outra consciência e modo de actuar que é muito bonito de ser ver.


****

E hoje, para terminar, quero só falar-vos de uma outra situação que me deu a certeza de que eu ando ao pé dos 'bons corações', das pessoas boas e isso me apraz muito em saber.
Ainda existem pessoas de valor neste mundo!

Resolvi fazer as compras de supermercado 6f à tarde, para ficar com mais tempo livre no fsm.
As idas aos supermercados levam horas, porque eles não são perto e tenho que ir e voltar de autocarro.
Tinha 2 sacos, um em cada mão, quando vejo o autocarro expresso directo para a minha casa, corri para a paragem e quando lá chego vejo as pessoas ainda a sair, e à minha frente, no passeio está uma mãe (nova) com o seu filho. Ela curvada, carregava uns 7 sacos de supermercado em cada mão e o filho, dos seu 5/6 anos levava dois grandes pacotes de batatas fritas, um em cada mão também.
A vida não é fácil.
O condutor do autocarro faz-nos sinal para entrar e imediatamente penso "Não há ninguém que dê uma mãozinha a esta mulher?" e reparo que uma rapariga já estava de olho na situação e assim que vê a mãe a tentar levantar aqueles sacos todos, vai imediatamente em seu auxílio e pega nuns tantos. Um rapaz atrás dela, mais inibido no início, mas depois a consciência deve ter falado mais alto, pegou noutros tantos.
E entraram os dois atrás dela. Levaram os sacos até onde ela estava e ajeitaram-nos. A rapariga até arranjou melhor as compras.
A criança não se conseguiu sentar a tempo, isto é, antes do autocarro começar a andar e tinha medo de cair se andasse até ao lugar vago. Mesmo em frente do lugar para onde ele queria ir, ia um pai com os seu dois filhos pequenos também.
O que ele fez? Carinhosamente pegou no menino, que levava as batatas-fritas em cada mão, e sentou-o no lugar que ele queria. :)

A perguntal mental que me surgiu foi: E se tivesse sido em Portugal? como teria sido?
Nós ate´guerreamos por sermos os primeiros da fila; aqui não há filas formadas, nem palavras azedas, sómente pessoas pacientemente à espera do autocarro.
E é uma grande diferença, acreditem!

Um beijo :}**

06 April, 2009

72 graus F!

Sabem qual 'e a temperatura no momento em que vos escrevo?
Nao sabem, nem vos passa pela cabeca! :)

Estao uns deliciosos, quentinhos, estonteantes 22 graus Celsius!
22!!!!
22!!!!
22!!!!
22!!!!
eu estou da manga curta!
so' apetece estar ao Sol e olhar indefinidamente para o Monte Rainier com o seu cume todo branquinho, que parece suspenso no ar!
e eu estou de manga curta e estao 22 graus C!!
iupiiii! :)

Como eu me sinto? :)
so' me apetece dancar como eles:


Sunny greetings! ;)

03 April, 2009

Pensamentos por email



“Não confundir o amor com a paixão dos primeiros momentos, que pode desaparecer.
O verdadeiro carinho cresce na medida em que os dois estão
mais unidos, porque partilham mais.
Mas para partilhar é preciso dar.
Dar é a
chave do amor.
Amor significa sempre entrega, dar-se ao outro.
Só pelo
sacrifício se conserva o amor mútuo, porque é preciso aprender a passar por alto os defeitos, a perdoar uma e outra vez, a não devolver mal por mal, a não dar importância a uma frase desagradável, etc.
Por isso o amor também
significa exceder-se, fazer mais do que é devido”.
(Juan Luis Lorda)

****

Existem pensamentos que nos tocam mais que outros, existem palavras que abrem as portas aos nossos sentimentos mais profundos e mais belos, e os deixam sair.
Existem pessoas que muito nos estimam, que tem muito carinho por no's.
Recebi hoje este pensamento de uma delas. Gostei muito.
Valeu a partilha!

E para vcs, meus amigos e fieis leitores, que muito, muito estimo, do fundo do meu coracao e cujo carinho que tenho por voces 'e enorme, fruto de vos aceitar tal como sao, aqui vai um abraco 'a Susy, daqueles bem grandes e apertadinhos.

Bom fsm! :}**


PS - estao uns Cumulus lindos no ceu! :)

O Meu Diario, pagina 7.




A PAZ !





A paz que trago hoje em meu peito é diferente da paz que eu sonhei um dia...

Quando se é jovem ou imaturo, imagina-se que ter paz é poder fazer o que se quer, repousar, ficar em silêncio e jamais enfrentar uma contradição ou uma decepção.
Todavia, o tempo vai nos mostrando que a paz é resultado do entendimento de algumas lições importantes que a vida nos oferece.

A paz está no dinamismo da vida, no trabalho, na esperança, na confiança e na fé...

Ter paz é ter a consciência tranqüila, é ter certeza de que se fez o melhor ou, pelo menos, tentou...

Ter paz é assumir responsabilidades e cumpri-las, é ter serenidade nos momentos mais difíceis da vida.

Ter paz é ter um coração que ama...

Ter paz é ter ouvidos que ouvem, olhos que vêem e boca que diz palavras que constroem.

Ter paz é brincar com as crianças, voar com os passarinhos...
ouvir o riacho que desliza sobre as pedras e embala os ramos verdes que em suas águas se espreguiçam...

Ter paz é não querer que os outros se modifiquem para nos agradar, é respeitar as opiniões contrárias, é esquecer as ofensas.

Ter paz é aprender com os próprios erros, é dizer não quando é não que se quer dizer...

Ter paz é ter coragem de chorar ou de sorrir quando se tem vontade...

É ter forças para voltar atrás, pedir perdão, refazer o caminho, agradecer...

Ter paz é admitir a própria imperfeição e reconhecer os medos, as fraquezas, as carências...

A paz que hoje trago em meu peito é a tranqüilidade de aceitar os outros como são, e a disposição para mudar as próprias imperfeições.

É a humildade para reconhecer que não sei tudo e aprender até com os insectos...

É a vontade de dividir o pouco que tenho e não me aprisionar ao que não possuo.

É admitir que nem sempre tenho razão e, mesmo que tenha, não brigar por ela.

É melhorar o que está ao meu alcance, aceitar o que não pode ser mudado e ter lucidez para distinguir uma coisa da outra.

A paz que hoje trago em meu peito é a confiança em Deus, que criou e governa o mundo...

A certeza da vida futura e a convicção de que receberei, das leis soberanas da vida, o que a elas tiver oferecido.

Às vezes, para manter a paz que hoje mora em teu peito, é preciso usar um poderoso aliado chamado SILÊNCIO.
Lembra-te de usar o silêncio quando ouvir palavras infelizes.
Quando alguém está irritado.
Quando a maledicência te procura.
Quando a ofensa te golpeia.
Quando alguém se encoleriza.
Quando a crítica te fere.
Quando escutas uma calúnia.
Quando a ignorância te acusa.
Quando o orgulho te humilha.
Quando a vaidade te provoca.

O silêncio é a gentileza do perdão que se cala e espera o tempo; por isso é uma poderosa ferramenta para construir e manter a paz.

Que Jesus te ilumine, hoje e sempre.

MUITA PAZ !


[recebido por email.Autor desconhecido]

01 April, 2009

E no dia 1 de Abril ...

Neva em Seattle!! :)
e esta' uma temperatura deliciosamente fresquinha: 1.7 graus C.
Ora vejam:


custou-me tanto levantar da cama hoje, acho que ate' o meu organismo ja' sabe prever o tempo!
sim, porque se la' fora esta' bem fresquinho, a cama estava deliciosamente quentinha :).


A snowing kiss :}**



PS- esta semana tem estado agitada com muitos assuntos para tratar, mas estou a fazer um esforco para escrever mais aqui no blogue, pelos menos terminar os 2 artigos que estao em rascunho ;)