11 April, 2009

Situações Curiosas IV

Uma situação ou situações que ainda me causam admiração, mas por serem muito, muito, muitíssimo positivas é o tratamento que estas pessoas dão aos seus 'pets' ou animais de estimação.
Eles tratam melhor os pets do que, muitos de nós e deles também, tratam um familiar.

Desde levá-los aos sitios certos para eles, aos parques que têm zonas próprias para os cães e zonas permitidas para os cães poderem andar à vontade. E conduzem com os cães dentro do carro, a maior parte dos que vejo vão no banco de trás, com o focinho de fora da janela que foi deixada aberta para eles apanharem ar, enquanto os donos ou os condutores conduzem de luvas, gorros, cache-col e 'kispo'!! E esta hein?
E também já vi os cães serem transportados no banco da frente, também com a janela aberta e o condutor todo equipado para o frio. Claro que podemos pensar que pode ser perigoso, mas os condutores são cuidadosos, conduzem devagar, os aceleras descansam quando há cães ou crianças dentro do veículo... ou também quando chove ou neva :)
E têm comida vegetariana para cães e gatos!!

Enfim, uma outra consciência e modo de actuar que é muito bonito de ser ver.


****

E hoje, para terminar, quero só falar-vos de uma outra situação que me deu a certeza de que eu ando ao pé dos 'bons corações', das pessoas boas e isso me apraz muito em saber.
Ainda existem pessoas de valor neste mundo!

Resolvi fazer as compras de supermercado 6f à tarde, para ficar com mais tempo livre no fsm.
As idas aos supermercados levam horas, porque eles não são perto e tenho que ir e voltar de autocarro.
Tinha 2 sacos, um em cada mão, quando vejo o autocarro expresso directo para a minha casa, corri para a paragem e quando lá chego vejo as pessoas ainda a sair, e à minha frente, no passeio está uma mãe (nova) com o seu filho. Ela curvada, carregava uns 7 sacos de supermercado em cada mão e o filho, dos seu 5/6 anos levava dois grandes pacotes de batatas fritas, um em cada mão também.
A vida não é fácil.
O condutor do autocarro faz-nos sinal para entrar e imediatamente penso "Não há ninguém que dê uma mãozinha a esta mulher?" e reparo que uma rapariga já estava de olho na situação e assim que vê a mãe a tentar levantar aqueles sacos todos, vai imediatamente em seu auxílio e pega nuns tantos. Um rapaz atrás dela, mais inibido no início, mas depois a consciência deve ter falado mais alto, pegou noutros tantos.
E entraram os dois atrás dela. Levaram os sacos até onde ela estava e ajeitaram-nos. A rapariga até arranjou melhor as compras.
A criança não se conseguiu sentar a tempo, isto é, antes do autocarro começar a andar e tinha medo de cair se andasse até ao lugar vago. Mesmo em frente do lugar para onde ele queria ir, ia um pai com os seu dois filhos pequenos também.
O que ele fez? Carinhosamente pegou no menino, que levava as batatas-fritas em cada mão, e sentou-o no lugar que ele queria. :)

A perguntal mental que me surgiu foi: E se tivesse sido em Portugal? como teria sido?
Nós ate´guerreamos por sermos os primeiros da fila; aqui não há filas formadas, nem palavras azedas, sómente pessoas pacientemente à espera do autocarro.
E é uma grande diferença, acreditem!

Um beijo :}**

No comments: