17 August, 2009

Um pouco sobre as ferias :)


um pouco porque... a minha vontade para escrever ainda 'e pequena!
Valha-nos Deus! nao sei o que se passa comigo :) alguem explica?

Como vcs podem ver tenho escrito muito pouco.
Antes era por um motivo fortissimo: reformei o meu Toshiba de 7 anos. 7 anos!!! sem um 'unico problema - foi um companheiro e tanto!
Vim para Seattle sem computador e foram muito dificeis os dias ate' me decidir ir 'a loja comprar um novo.
E posso escrever aqui o meu pensamento enquanto assinava o recibo da compra:
"Bye bye Win.... Helloooooooooooo Mac!!!"
hellooo Mac, hellooo Ipod Touch (promocao), helloo impressora (gratis tambem com a promocao), resumindo.... Hellooo Mac family!
Agora 'e oficial, faco parte desta familia! :)

E como tudo o que 'e novo, ainda estou a levar o meu tempo para me habituar ao sistema, mas digo-vos que 'e um sentimento maravilhoso poder abrir um terminal e correr os meus programas sem ter que instalar rigorosamente mais nada! Iupiiiiiii!
E, sem falar da internet, porque essa ja' vcs sabem como 'e.

E, com o novo portatil, o entusiasmo pela escrita cresceu um bocadinho.
O Sol a brilhar la' fora tambem da' logo outro animo, por isso, depois de um dia de trabalho e com resultados produzidos (outro hooray!), resolvi que, deveria, pelo menos, comecar a escrever sobre as ferias.

O mais interessante das ferias sao sempre as viagens. As bicas, os peixes grelhados, a familia, os amigos, a praia, nada disso 'e tao importante como o acontece nas viagens. 'E que estes deixam-me em estado de graca, as viagens "acabam" comigo, alias acabam com qualquer pessoa normal que nao consiga dormir.
A viagem de Seattle-Londres-Lisboa foi muito cansativa. Afinal sempre sao 17h em transito. Sem dormir. O mais engracado foi estar em Heathrow 'a espera do voo para Lisboa: tudo animado e bem vestido e duas "aliens" la' sentadas com ares de "mortas-vivas". Coitadas - eu e uma rapariga, claramente, americana! Ainda por cima a luz exterior era fortissima e eu comecei a ficar nervosa com o facto de poder adormecer a serio (os olhos nao aguentavam tanta luz e estavam constantemente a fechar-se).
Assim que cheguei a Lisboa, passou tudo! Isto eu acho impressionante - estou em casa!! :)
O ponto positivo desta viagem (alem, claro, de ter chegado sa e salva a Lisboa) foi mesmo o percurso entre Seattle e Londres. Passamos o Canada, sempre em direccao ao norte e subimos acima da linha da noite, o que significa que vimos o por-do-Sol e logo a seguir o nascer-do-Sol. Camadas de laranja e vermelho a colorirem o ceu, Lindooo!
Tive a sorte de ir do lado do aviao que pode testemunhar esta maravilha da Natureza, o casal alemao que seguia ao meu lado fartou-se de tirar fotografias.

A viagem de Lisboa-Londres-Seattle foi mais emocionante, no verdadeiro sentido da palavra "emocionante", pois meter lagrimas a cairem pelas minhas faces abaixo.
Quando fui renovar o visto, vi uma cena que me tocou.
'A minha frente estava uma freira, dos seus quase 60 anos. Baixinha, magrinha, acompanhada de uma outra senhora de uns 40 anos de idade. Estavamos na fila para passar pela seguranca quando ela meteu conversa comigo.
Ia visitar uma irma que mora na California ha' muitos anos.
Voltei a ve-la ja' dentro da embaixada, na sala de espera. Lembro-me de o senhor que nos atende e recebe toda a documentacao estar a explicar-lhe que agora 'e tudo feito pela internet, que ela tinha que ir ao website da embaixada e seguir todos os passos.
Coitada da senhora! Custou-me um pouco ver (ela tinha um ar totalmente perdido) e ouvir aquilo, ainda existe uma geracao que nao foi e nao esta' a ser preparada para os avancos da tecnologia. Sao os mais velhos. Parece que este mundo nao 'e para eles, que eles nao estao integrados. Foi esta parte que me custou.

Voltei a ve-la no dia da minha viagem para Seattle. Coincidencia (ou nao), marcamos a viagem Lisboa-Londres para o mesmo dia e para a mesma hora.
Aqui lembro-me muito das palavras de uma pessoa que muito estimo: "Susana, quando uma situacao vem ter connosco nao 'e por acaso. Temos que fazer tudo o que esta' ao nosso alcance para sermos bem sucedidos na missao que nos 'e confiada."
O Livro Conversas Com Deus, vol.2, fala disso mesmo, das dadivas que recebemos das pessoas e que vamos dar 'as pessoas.

Ela estava mesmo atras de mim na fila para entrar para o aviao, onde no's entregamos o bilhete. Meteu conversa comigo e eu reconheci-a imediatamente. Foi aqui, neste exacto momento, que eu soube que tinha uma missao em maos: ajuda-la.


Continua .... :)

2 comments:

Márcio Branco said...

As férias são sempre mágicas e ainda um dia destes recordava as fantásticas férias que passei em Cabo Verde e logicamente que associamos as férias às comidas, às sensações, aos cheiros e às pessoas. E estava eu a ver televisão e disse em voz alta "era tão porreiro voltar a encontrar aquele casal super simpatico e saber o que têm andado a fazer durante este ano". Curiosamente numa visita à cidade do Porto 15 dias depois encontrei num shoping um dos elementos do casal e foi muito agradavel recordar novamente as pessoas e reviver pela conversa as fantásticas férias :-)

Daisy said...

Viva!!!
Obrigada pelo comentario! quando a vontade de escrever voltar outra vez :) eu termino este 'post'.
Existem momentos que dificilmente se esquecem, principalmente quando estamos receptivos e dispostos para os aproveitar. 'E muito bom reencontrar pessoas que de algum modo contribuiram, um dia, para uma vida mais feliz, para momentos mais agradaveis e que fizeram muito sentido. Quando partilhamos, neste caso, alegrias e descobertas, a ligacao que une as pessoas torna-se mais intensa. As pessoas vao, vem, mas quem 'e importante de verdade sempre volta!
E 'e tao bom saber disso!

Vou agora dar um pulinho aos eu blogue que quero deixar la' um comentario num artigo que escreveu....mas 'e um comentario suave :), o assunto ja' 'e melindroso ;)

Ate' ja'!