31 December, 2010

2011 está mesmo a chegar/ it's just around the corner !


Beem... inacreditável, mas é a mais pura das verdades - faltam poucas horas para 2011 entrar nas nossas vidas (e ainda falta terminar o bolo de chocolate - a cobertura- e os rolinhos de manga que têm que estar prontos ainda em 2010 hehehe), so :)


FELIZ 2011 - HAPPY NEW YEAR !!!


Entrem com os 2 pés e muita, muita Luz no coração para neste novo ano vocês conseguirem ser aquilo que realmente são e cuidar de vocês verdadeiramente (e não egoística-mente hehehe).

Até para o ano e Obrigada por terem estado desse lado sempre a vir visitar o meu blogue, mesmo quando semanas se passaram sem eu publicar nada. Ensinaram-me a perseverança e mostraram-me a paciência, afinal é sempre bom saber que existem mais pessoas que possuem estas qualidades mágicas ;)


Um beijo grande grande! :}**


----


Don't you think it's shocking that 2011 is just around the corner? :)
I have this "strange-and-difficult-to-deal-with" feeling that this almost-past-year flew by! Gosh!
Here in Portugal, 2011 is less than 4 h away :) and to be definitely part of our lives (although I still have to finish baking the chocolate cake, I mean, to frost it ;) and the spring-summer-rolls filled with only healthy stuff, preferably before midnight, that is, in 2010), so :)


HAPPY 2011

- jump up with both feet in the air and keep your heart illuminated and full of gratitude to guide you throughout the year when the storms come by and help you taking very good care of yourselves.

I'll see you guys next year ;) and I'm deeply thankful for your blog visits even when weeks went by without me publishing any entry. Thank you for your patience and keep persevere!

Deeply hugging you :}

25 December, 2010

Festas Felizes / Happy Holidays!

Antes de começar a escrever texto, quero desejar a todos um



FELIZ NATAL
com muita Harmonia e Alegria nos vossos lares e na companhia de quem é mais importante para vós. Esta é um época em que o Espírito do Amor deve conduzir os nossos corações e iluminar tudo e todos, vamos pensar nisso com carinho!



Neste Natal faz 1 ano que regressei a Portugal... e onde estava eu, há exactamente 1 ano atrás?

As últimas semanas em Seattle foram a empacotar os meus pertences e a levar caixotes com uma dimensão razoável e um peso considerável para a estação dos correios da UW - os senhores dos correios já me conheciam e foram todos muito simpáticos durante todo o processo - e a vender as coisas que não poderia trazer comigo. Fiz um "garage sale" ou venda de garagem, tudo com preços simbólicos, anunciei na mailing list do departamento e enviei por email para a minha lista de contactos e rezei para que conseguisse vender o mais possível. Correu muito bem, tudo estava em muito bom estado. O que não consegui vender, dei, e assim fiquei só com o que cabia nas minhas malas e aquilo que o B&A iriam herdar ;).

No dia 23 à noite, o B. e o pai dele foram buscar-me a casa, a mim e as tralhas que eu carregava comigo, para passar os últimos dias em Seattle na casa deles até ao dia do meu vôo, e entregar a chave do apartamento. Enchemos um carro por completo, com o B. ao volante, até o co-piloto (o pai dele) levava coisas em cima dele. Não havia mais espaço para mais nada dentro daquele carro - até a minha cadeira de meditação lá coube!
Depois foi a confusão para arrumar a herança que deixei lá em casa, então no que toca a comida é melhor nem lembrar :), ainda hoje as especiarias (Meu Deus eram tantos os frasquinhos) moram em Eastlake. Fui arrumando as minhas coisinhas à medida que na cozinha se ultimavam os preparativos para cozinhar o jantar de Natal, e a And. recebia um lindo lindo bouquet de flores - "ai que tenho um marido tão romântico", dizia ela! :p.
Os rapazes vestiram os aventais da Susana (com daisies e vaquinhas só podiam ser meus hehehe!) e expulsaram todos da cozinha: "O jantar está por nossa conta" disseram eles. Nós (éramos 3 mulheres!), para os provocar, ainda emitimos uns avisos "é assim" ou "é assado", mas eles, firmes na decisão que tomaram, só sopravam "estou a ouvir vozes" com aquele ar de quem diz "não precisamos de conselhos que sabemos fazer isto de olhos fechados!" - e não é que o jantar estava bom? muito bom mesmo!
Seguiu-se um momento de pausa para a comida assentar no estômago e a meia-noite chegou e trouxe-me um presente, algo tão inesperado, não estava mesmo nada à espera de receber presentes, mas o B&A são assim mesmo, umas pessoas espectaculares, não há palavras de agradecimento que cheguem para agradecer o carinho que recebi deles desde que os conheci. Adoro pessoas de bom fundo e elevada moral, são um verdadeiro bálsamo nas nossas vidas!
A prenda mais provocante foi mesmo a do L. com aquela t-shirt tão chamativa que já tinha feito correr tinta nos jornais quando o slogan saiu para a rua ;).
Deitámo-nos tarde, a conversa manteve-nos unidos por mesmo muito tempo.

No outro dia, o almoço foi mais recheado em todos os sentidos, de pessoas e de comida, mas eu comi muito pouco, o nervosismo da viagem trancou o estômago e com menos fome fiquei depois de verificar que tinha mesmo muita bagagem comigo. Quando fico nervosa ou ansiosa não como nem falo e é muito difícil sair deste estado. Umas horas depois ia eu a caminho do aeroporto, levada pelo B&A., lembro-me desta viagem que decorreu muito rapidamente pois havia muito pouco trânsito - vantagens de se viajar no dia 25: pouco trânsito e aviões mais vazios (o que é óptimo!) - poucas nuvens no céus, muito frio, o Sol a pôr-se, lindoo, a monte logo ali grande imponente a dizer "adeus, até um dia", tive momentos muito difíceis em Seattle, mas também tive momentos muito bons, e naquela altura em que em poucos minutos aqueles 3 anos e meio me passaram pela frente, 2 lágrimas rolaram pela minhas bochechas abaixo, lágrimas de alegria, lágrimas de muita muita gratidão e de profundo reconhecimento que aquele tempo foi absolutamente fundamental para cimentar aquiilo que sou eu, para me encontrar e reconhecer o meu valor, para saber "onde colocar o sal", para fazer uma limpeza na minha vida. Todos os momentos, todos os segundos vividos, os limtes testados, os horizontes que se abriram, eu estarei eternamente grata à vida por eles. Muito, Muito Obrigada (PAI)!
E quando aterrei em Lisboa, às 18h do dia 26 só me saiu "I'm back!!" :)) e ninguém me apanha tão depressa em viagens desta natureza porque são extenuantes! Dormi tanto, nem calculam, até o pessoal cá de casa estranhou hehehehe

Partilho um slideshow com algumas fotos para mais tarde recordar ;)



Até ao próximo.
Um beijo :}**


PS - The English version will come soon (I hope). I'm truly sorry for my delay in posting entries, but, unfortunately one of my parents is seriously ill and I'm fully dedicated to it.

28 November, 2010

Um pouco sobre as férias - 2010/ Some days off in September :)

[The English version is coming soon and the slide show is at the end of the post]


Sabe bem, agora que o Outono está devidamente instalado, lembrar o quentinho do verão passado. Ai, sabe bem sabe!
Este ano tive férias de verdade (quero dizer, sob um determinado ponto de vista, pois sobre outro não estive verdadeiramente), dado que as minhas últimas férias de verdade foram em 2005.

Acredito que seja difícil para vocês compreeenderem isto, mas quando se vem a Portugal depois de um ano fora há tanto para fazer e para tratar, e o cansaço de andar para aqui e para acolá é tanto, que não se descansa verdadeiramente. E depois segue-se a viagem de volta e novamente sofrer os efeitos do jet lag. Eu acabava sempre por tirar mais uns dias de férias em Seattle, quase só para dormir (que por sinal gosto bastante de fazer).

Mas este ano não. Apesar de ter o peso pesado da tese nas costas, tive férias. Dormi! Tomei banho de mar! Libertei-me, vivi e respirei o anoitecer, a minha altura do dia preferida!Sem qualquer sombra de preocupações relacionadas a viagens super stressantes a pairar sobre a minha cabeça. Ufa, que alívio! :)

Ritos Tibetanos - a home practice!

Por motivos vários não tenho conseguido ir às aulas Yoga.
No início causou-me muita irritação e frustação lidar com este obstáculo, mas eu não sou pessoa de estar sempre a "dar com o martelo no próprio dedo" e rapidamente decidi que tinha que arranjar uma solução alternativa para este problema. Às vezes a vida proporciona-se de uma maneira para que aprendamos a ser criativos e a alargar horizontes. É que, quem começa a fazer Yoga regularmente é muito difícil deixar, eu sinto mesmo falta daquela altura do dia em que me "estico", isto é, alongo e liberto a tensão do dia e me concentro a 100% no meu corpo como um todo. Depois de uma aula de Yoga sinto-me de tal maneira revigorada, que nada do que aconteceu antes tem a "tal" importância.
Por acaso, agora que escrevo isto, lembro-me de uma vez, quando tinha as aulas de Yoga com o Mark, no bairro de Fremont-Seattle, em que como éramos muito poucos alunos, quase uma aula privada, ele perguntou-nos se tínhamos algum pedido especial para aquela aula. Eu não me fiz de rogada e disse-lhe que estava muito ansiosa porque tinha discutido ao telefone com alguém que estimo muito, e que isso me tinha deixado muito triste. Muito bem, disse ele, vamos trabalhar aspectos mais interiores hoje, através do corpo físico. Meus senhores, no final da aula, eu não me conseguia lembrar qual era o assunto da discussão e estava leve como um passarinho e de novo com um sorriso de orelha-a-orelha. Agradeci-lhe imenso aquele trabalho de quase hora e meia.

Tudo isto para dizer que, a solução que eu arranjei foi praticar os Ritos Tibetanos, baseado no livro de Peter Kelder que eu comprei há mesmo muito anos, talvez no início dos meus anos de faculdade, quando dei asas ao meu interesse por estes temas mais alternativos. Tantos workshops que fiz de como praticar Yoga em casa, construindo sequências que se adaptassem às minhas necessidades, sempre cheia de dúvidas, quando tinha nos Ritos uma sequência perfeita para alongar e estirar o meu corpo adequadamente. Basta terem um colchão de Yoga e um espaço onde se o possam esticar e já está. É só mesmo o tempo que demoram a fazer as repetições de cada um dos 5 ritos.
Os Ritos actuam sobre as glândulas endócrinas principais (chacras) e têm muitas vantagens para o organismo quando praticados todos os dias (sim, tem que ser TODOS os dias!), e à medida que vão aumentando o número de repetições, o efeito posterior vai sendo cada vez maior; e se for feito ao final do dia, antes do jantar, vão sentir uma grande diferença. Eu sinto, durmo a noite toda, ferradinha, sem mudar de posição, algo que há uns meses atrás era impensável de acontecer.

Os ritos são simples exercícios de yoga, que colocam a nossa energia a circular muito rapidamente (e sente-se muito bem, digo-vos já!) - o que é óptimo nestes dias frios e para quem costuma ter temperaturas corporais baixas (eu! eu!), mas apesar de pareceram simples, ao adicionarem mais 2 repetições por cada semana que passa (até chegar às 21 repetições por cada rito), vão existir uns mais difíceis de repetir que outros.
O 2º rito custa-me muito fazer (vou em 11 repetições por rito), o 5º é o meu preferido! O 3º trabalha o Meridiano do Estômago / Plexo Solar - no início ficava sempre mal-disposta, porque tenho alguma debilidade nesta área, mas agora não fico mais!
Além disso, fazer os ritos todos os dias é um teste à nossa perseverança e capacidade de compromisso connosco próprios. É um desafio, porque o cansaço e a preguiça e o "hoje não me apetece" ou "hoje não vale a pena" vai bater-vos à porta com uma força que nem imaginam, mas não liguem nem dêem importância, continuem firmes no vosso desenvolvimento, pois não só constroem e mantêm a vossa saúde, como se preparam para a vida em termos de valores.
A maior preparação é sempre de dentro para fora, ao contrário nunca estarão ou serão plenamente realizados - não se esqueçam disto! ;)


Fica aqui o vídeo para verem como são fáceis de fazer!
(quando chegar às 21x venho cá actualizar o artigo hehehehe)


Um beijo e boa semana! : }**

08 November, 2010

Restaurante Vegetariano em Évora!

pois é, pois é!

É o Salsa Verde, na Horta das Figueiras, mesmo ao pé do Montepio Geral. Fica aqui o link para o website deles:


Como é que eu descobri? numa das minhas visitas mensais a Évora, quando passeava de carro e resolvi seguir um percurso "não tradicional", do género "Olha, vamos por aqui!", e de repente, voilá! lá estava o Salsa verde. Só tomei o pequeno-almoço lá, nunca almocei ou jantei, mas vi o menu do dia e pareceu-me bem. Évora está a crescer em mentalidade, que bom!
Será que existem mais? Se eu descobrir, venho vos dizer. Se já souberem, partilhem, por favor.



O próximo artigo será sobre as férias deste ano, aguardem ;) .

beijo :}**

01 November, 2010

Almoços Peculiares


Uma das situações das nossas vidas que mais nos força a sair da nossa própria zona de conforto (onde estamos eternamente bem instalados, da qual não queremos sair e fazemos birra quando isso acontece, dando, geralmente, lugar a que o mau-humor fique entusiasmado) é de repente irmos a um convívio de um familiar muito próximo e importante nas nossas vidas, onde ... não conhecemos uma única pessoa. Ninguém!
E estão lá umas 100 pessoas, onde 50% delas conhece o nosso familiar, que nos pediu para comparecer ao evento, para partilharmos da alegria dele.
E, estas situações, são aquelas que mais forçam os nossos próprios limites: temos que sair do cadeirão e conviver! mas não é só conviver, é arranjar uma linguagem educada e gentil que possa ser interpretada pelo maior número de pessoas possível, para não chegarmos ao fim do dia sem termos trocado uma única palavra com ninguém, completamente imersos na nossa bolha de cristal. Não, não queremos que isso aconteça. Todos alimentamos a esperança conhecer pessoas novas, fazer amizades, afinal somos um animal social, sentimos bastante conforto quando alguém está realmente interessado em nós, ou pelo menos, interessado em ouvir-nos. E é muito bom quando isso acontece.


31 October, 2010

Discovering Rainier/ Uma visita à Montanha


E voando, voando, estamos às portas de Novembro (!!!)


Há exactamente 4 ANOS atrás, em Outubro de 2006, estava eu a... descobrir a beleza do Monte Rainier!

[Eu olho para as fotografias e vejo sérias diferenças: naquela altura tinha uns 8 kg a mais do que tenho hoje e usava uma corte de cabelo que já não uso mais. Beeeem!]

Foi numa das muitas actividades do FIUTS em que participei e que me ajudaram (e muito!) a conhecer a zona que escolhi para passar uma boa temporada.
O Monte Rainier, que se vê do campus da UW, é de uma beleza extraordinária!
Tem muitos percursos ou trilhos por explorar, desde os mais fáceis aos mais difíceis fisicamente, e paisagens de cortar a respiração. É uma energização completa, é das mais profundas uniões que podemos fazer com a Mãe Terra, a Mãe Natureza. É tão energizante, que quando chegamos a casa depois de um passeio destes, dormimos que nem uns bebés de tão acarinhados que fomos por todos os elementos da Natureza.

O passeio começou cedo, 8h da manhã foi o ponto de encontro no café do Burke Museum (Museu de História Natural, da UW). Éramos mais de 60 pessoas, a maior parte delas de ascendência asiática, e algumas "pobres almas Europeias", eu incluída. Ficou ao meu lado, na viagem o P., francês, um amor de rapaz, literalmente. Era de erasmus, estava em Economia, por um ano. Foi a minha companhia nesta viagem.
Foram mais de 3 horas de viagem, onde fizemos uma pequena paragem para abastecer o estômago e as carrinhas (eram 5, mais um carro) de combustível - imaginem o espanto dos srs. do café a verem entrar 60 alminhas por ali a dentro e de repente uma fila a formar-se para a casa-de-banho!
Estava nublado nessa manhã, mas felizmente o tempo clareou e o Sol sorriu.

Tenho vagas memórias dessa aventura, não muito pormenorizadas, que a minha memória rege-se por princípios não convencionais, que eu ainda não dediquei tempo a entender (ela tem a sua própria dinâmica de selecção), mas lembro-me bem da chegada à entrada do Parque Nacional da Montanha, onde árvores enormes, muito altas formavam uma espécie de vedação que separava dois mundos, com a casota dos guardas da montanhas a fazerem a selecção dos carros que chegavam. Digo de um filme de Hollywood.
Esperámos um bom bocado e depois de termos permissão para entrar, seguimos até ao Paradise Visitor Center, onde se deixam os carros estacionados, e onde existem uma lojinha e um restaurante para abastecer.

Depois de muita discussão por parte dos organizadores sobre qual dos percursos nós deveríamos fazer, o consenso foi alcançado e "fizémo-nos ao trilhos". É indescritível a sensação de estar ali, na Natureza! Aquelas cores de Outono, tudo tão bonito, limpo, arranjado, e a montanha logo ali, sorrindo, com o seu chapeuzinho branco.
Fomos subindo, subindo, não muito depressa, foram formando-se grupos naturalmente. Eu sou daquelas que sobe devagar, porque sou dada muito à observação, e como tudo chamava pelos meus sentidos, foi um reboliço cá dentro. É quase como se várias pessoas falassem ao mesmo tempo e vocês quisessem dar atenção a todos. O P. esteve sempre comigo, é bom quando num passeio vocês conhecem pessoas que estão na mesma sintonia, é realmente reconfortante.

Fizémos uma das subidas mais altas, até aos milhares de metros de altitude (não me lembro quantos), mas chegámos lá acima a arfar, e sentámos-nos para almoçar numa zona a descoberta, nas encostas acentuadas do monte. Quando parámos é que pudemos sentir como estava frio lá em cima!
Subimos mais um pouco e iniciámos a descida, pelos trilhos mais estreitos que podem imaginar com declive acentuadíssmo e solo irregular. Esta é a parte que me assusta mais, agora imaginem com dezenas de pessoas atrás de vocês. mas lá se fez! Vimos cabras da montanhas, branquinhas e gordinhas.

Quando voltámos a Paradise estávamos extenuados, caramba! E todos aflitíssimos para ir à casa-de-banho. E, para mal dos nossos pecados, o Visitor Centre estava já fechado. As carrinhas pararam antes de sair do parque, numa daquelas WC à beira da estrada, sem luz, e os compartimentos escuros como o breu. Fazer lá alguma coisa era um suplício, principalmente quando a sanita é um buraco no chão. As asiáticas, coitadas, vinham de lá horrorizadas.

E a viagem de volta foi, no mínimo, surpreendente. Na última fila da carrinha iam 3 Japonesas, e apesar de todos os restantes estrem cheios de sono, elas estavam cheias de energia! Foram 3 horas de conversa sem pausa, em Japonês (ninguém entendeu nada do que elas diziam), conversavam entre elas em alto e bom som e a rirem-se guinchavam. Não estou a exagerar, foi mesmo verdade!!! Ninguém conseguiu dormir nada, todos tinham um ar de quem estava com uma dor-de-cabeça horrível, e o casal que ia sentado ao lado delas, tinham as cabeças enconstadas um no outro com os braços a tapar os ouvidos. Foi brutal! e em Japonês!

Não tive mais oportunidade para visitar o Monte Rainier, mas é algo que aconselho vivamente. Este e todos os outros em redor, dado que aquela zona é formada por uma cadeia de montanhas. Existem percursos Espectaculares, lá não falta o que fazer, não falta aventura. ;)

Fotos em baixo.




Um beijo :}**

Pergunta :)

No outro dia fizeram-me a seguinte pergunta:

se fosses um órgão do corpo humano, qual escolherias ser?
... ... ... ... ... ... ... ...
simples, não é?
...
...
...

tão simples, tão simples, que ainda hoje não consigo responder!
não estou a conseguir dissociar o um do TODO, para mim todos têm igual importância, todos trabalham em uníssono, um não o é sem o outro, cada um tem a sua própria individualidade a partir do TODO. Eu vejo o TODO, como um sistema perfeito onde tudo tem igual importância.... e o dilema instalou-se!


beijo :}**

Rolinhos de Manga e Pepino ;)


A minha estadia nos "states" proporcionou-me uma abertura de horizontes a todos os níveis, vocês sabem , já escrevi isto várias vezes aqui. Isto é, basta estarmos disponíveis interiormente para podermos crescer muitíssimo em todos os aspectos, é só aproveitar o que de bom eles têm para nos ensinar.
Foi no campo da culinária que eu encontrei o meu êxtase. Dei comigo a comer e experimentar receitas, alimentos e ingredientes totalmente novos, que eu simplesmente adorei. Conheci "n" cozinhas diferentes, e as receitas Thai fizeram as minhas delicias com os vegetais cozinhados levemente num wok quentíssimo. Ficam tão crocantes! Literalmente libertam os sentidos de tanta cor que os pratos têm, é outro "food spa".
Foi num restaurante Thai (o bom bom de Seattle é que em todo o lado podemos encontrar no menu vários pratos vegetarianos, sem contar com a oferta de restaurante vegetarianos que existe lá) que comi pela primeira vez os spring rolls/ summer rolls. Eu chamo-lhes rolinhos de vegetais. Existem diversas variedades, os fritos e os não fritos, os meus preferidos são os não fritos. Na minha imaginação era capaz de comer dúzias daquilo, então se tiver tofu às tiras, é uma refeição completa. Estes rolinhos comem-se à mão, molhando-os num molho agri-doce ou de amendoim, e levando-os à boca. Até estou a salivar só de escrever isto. hehehehe
E de tão bons que são, tive que os reproduzir em casa, versão Susana dos ditos. Fui seguindo uma ou outra receita vegan dos spring rolls (ainda não entendi muito be a diferença entre eles, mas acho que os spring rolls podem ser fritos no final, enquanto os summer rolls são frescos, não se fritam), mas só atingi uma melhor qualidade quando comprei o livro Vegan with a Vengeance (VWV), que tem uma receita simples dos summer rolls, com manga. Chamou-me logo à atenção e tive que experimentar. O recheio é sempre ao nosso critério, podem colocar o que quiserem, é um estímulo à nossa criatividade.

Quando cheguei a Portugal, um dos meus primeiros impulsos foi tentar fazer estes rolinhos e muitos dos pratos mais exóticos que tinha aprendido a fazer lá. Cozinha Indiana inclusive. E no El Corte Inglès (e também no Pão-de-Açucar das Amoreiras, Lisboa) existe um corredor de comida internacional, onde podem encontrar muitos produtos disponíveis para fazer uma série de pratos de várias cozinhas: indiana, mexicana, Japonesa, Chinesa e até Tailandesa. Foi lá que eu encontrei a folhinhas de arroz, redondinhas (ver foto) que só contém 3 ingredientes. São estas folhinhas, que imersas em água quente ficam molinhas e pegajosas e onde vocês enrolam o recheio dos rolinhos de vegetais.

Partilho aqui com vocês uma receita muito simples destes rolinhos, adaptada da receita do livro VWV da Isa C. M.
Fotos em baixo, passo-a-passo.


Ingredientes:

1 embalagem de folhinhas de arroz
ervas aromáticas : manjericão, salsa ou coentros
1 pepino
1 manga madurinha
massa japonesa soba ou udon
manteiga de amendoim sem sal
molho agri-doce ou outro da vossa preferência (certifiquem-se que não existem ingredientes tóxicos na composição do molho)



Cozam a massa em água abundante sem sal, seguindo as directrizes do pacote da massa. Enquanto a massa coze, cortem o pepino e a manga em palitos finos, tipo juliana, como na foto. A manga, para poderem cortar neste sentido, têm primeiro que cortá-la em fatias longitudinais grandes e depois cortar estas em palitos.
Escoam a massa, passam-na por água fria e reservem-na dentro do passador, para toda a água sair. Levem bem as ervas aromáticas que vão utilizar.



Colocam um prato fundo com água quente, bem quentinha, que os vossos dedos aguentem, e coloquem lá dentro 1 ou 2 folhinhas de arroz, de modo a que fiquem totalmente imersas na água quente.
Uma ou 2 folhas, porque depende da espessura das folhas e de como elas vão aguentar depois de enroladas. A última embalagem que comprei trazia folhas bem mais espessas, e utilizei sempre só uma para os rolinhos. Esperem uns 30s até as folhas estarem totalmente transparentes e levemente pegajosas ao toque. O pegajoso é muito importante, para poderem enrolar com facilidade e depois o rolinho não abrir e deitar tudo para fora. :)
Estendam a folha de arroz na tábua de cortar os legumes e coloquem, um pouco abaixo do meio da folhas os ingredientes por esta ordem: massa, manteiga de amendoim (tentem espalhá-la sobre a massa, se for difícil, atirem uma colherada para cima), pepino, manga, e por fim, as ervas aromáticas.



Para enrolar: agarrem na parte da folha de arroz mais próxima de vós, passem por cima de todos os ingredientes, até que eles fiquem totalmente enrolados na folha. Parem. Peguem nas laterais e fechem-nas, colocando-as por cima da parte que já está enrolada, como se estivessem a fazer um envelope. Enrolem até ao fim, certificando-se que o rolinho está bem fechado em todos os seus lados. Pressionem levemente para o fim da folha ficar bem coladinha ao rolinho.

Com uma faca afiada, cortem os rolinhos ao meio, com o corte feito ligeiramente inclinado para a diagonal.



Coloquem o molho num tigela pequena, e sirvam!



Têm sido um sucesso cá em casa!
E são exemplo de uma excelente entrada em qualquer encontro caseiro, ninguém resiste ;).

Agora, todos para a cozinha, criar!
Abram o leque, e experimentem com outros legumes: cenouras, pimentos, courgettes, couve, todos cortados em juliana.


Um beijo :}**


25 August, 2010

Beleza pura / Toxics? No, Thanks!

Another video worth watching!!


Something we all should know about the cosmetics we use: moisturizers, shampoos, shower gel, bath soap, toothpaste and so on.
Lets check the ingredients of these products lying on the counter of our bathroom and kitchen, shall we?
Let's be extra careful the next time we buy these stuff, promise? For our own sake and health! :)


****


E por falar em beleza, vem logo à minha mente todos os produtos que diariamente estão em contacto com a minha (muito querida) pele, o maior órgão do nosso corpo!
Deixa cá ver: creme para os olhos, creme para a cara (dia e noite), gel facial de limpeza para de manhã, leite de limpeza para a noite, creme para o corpo, creme para os pés e mãos, o sabonete, a pasta de dentes, os detergentes, o champô, o gel-de-banho, o leite desmaquilhante, protector solar, baton para o cieiro e ... alguma maquilhagem.
Caramba?! tanta coisa!! 
Curiosa, sempre esta sede interior por mais informação (não é por acaso que estou na ciência)....  interroguei-me eu há muitos anos atrás (até escrevi sobre isso aqui) quais são os ingredientes destas coisas todas.
E por que é que as mulheres que usam muita maquilhagem durante anos a fio, ficam transfiguradas quando a tiram e envelhecem muito mais rapidamente?!
E.... já foram ver os ingredientes das pastas de dentes que têm em casa? e dos champôs, do gel-de-banho, etc? a pele é o maior orgão do corpo humano e tudo absorve. Absorve e entra na corrente sanguínea, e começa a circular dentro de nós. Ai de nós senão tivermos um sistema imunitário em sentido... entendem-me, correcto? muitos de nós não temos.... esta é a realidade, dura e crua.

A mudança custa, mas é inevitável, pela nossa saúde!! não nos podem tomar por burrinhos a vida toda, caramba! temos que iluminar a nossa ignorância (que neste caso nos é altamente prejudicial!) e transformá-la em conhecimento.
Cá em casa a mudança já foi feita, pelo menos por aqueles que mais compram: os rótulos são todos lidos, os ingredientes passados a pente fino. 
Tóxicos? Não, Obrigada!

Vejam o 2º video, com legendas em Português. São 8 minutos de Puro Delírio!!




The Story of Cosmetics (Português) from Guilherme Machado on Vimeo.

Um beijo!

A minha criança interior...

libertou-se e está triste!

Causa: onde é que estão os "bonecos" do anúncio ao sumo Um Bongo???
que raio de coisas são aquelas que aparecem agora no novo anúncio?!?!?!
quero de volta os bonecos!!!
E a verdadeira música também! aquilo sim é que era giro e a música ficava no ouvido, ainda hoje me lembro dela perfeitamente, cá vai:

"Um Bongo, Um Bongo
o bom sabor da selva,
em cada pacotinho, uma festa de oito frutos,
ananás, alperce e manga
laranja, maçã goiaba,
banana maracujá,
imagina o que isto dá!"
Um Bongo, o bom sabor da selva!

e quando bebíamos imaginávamos que a selva sabia aquilo, que havia lá todos aqueles frutos e que íamos ficar doidinhos como o elefante!
O sumo trabalhava a nossa imaginação!
Agora já não sei como a selva está :(, e nem sei se ainda existem lá estes frutos, mas sei que o novo anúncio, com tanta tecnologia avançada, não tem graça nenhuma, vida muito menos.

Vale-nos o YT para recordar :)




Um beijo saudoso : }**


PS - O novo anúncio diz que agora é 100% natural. Antes não era?!?!?!?!

A verdadeira história das nossas compras / The Story of Stuff :)


This is something worth watching! 
I bet you will think twice before your next shopping or before you throw out something you think (or should I write they made you think?) it doesn't work anymore or it doesn't fit your needs properly.
Don't close your eyes to this reality, because, I'm ashamed to say you're part of it. All of us are part of it!!!
lets make something to change the course of events, lets fight for a better world, lets use the LOVE within!


*****

Já há muito tempo que andava para colocar este vídeo aqui no blogue.
A 1ª vez que vi este documentário, foi num dos encontros de Cozinha Indiana Vegetariana, lá na UW, promovidos pelo Yoga Bhakti Club, um conjunto de pessoas Indianas formidáveis. Acho que formidáveis é pouco, eles são excepcionais! (haverá artigo sobre estes encontros) Como era hábito, cozinhavamos um prato vegetariano e enquanto comíamos, reflectíamos sobre um assunto importante, geralmente relacionado com os valores sociais. O Sundar recebeu este video por email e levou para o encontro para assistirmos e comentarmos.
A minha surpresa não tinha limites! Estava chocada à medida que o documentário nos inundava com a realidade escondida por detrás dos objectos que compramos, que deitamos fora com uma facilidade tremenda e rapidamente os substituímos por outros novos. Pela toxicidade em todos eles.
Eu já achava que andamos a consumir desmesuradamente os nossos parcos recursos naturais, em considerar a importância das consequências, depois de ver isto então.... tão depressa não vou deixar de bater na mesma tecla! Até que a voz me doa! :)


Tem legendas em Português, não há desculpa! ;-)




Um beijo :}**

24 August, 2010

Food Matters / O que comemos tem MUITA Importância!


A 1ª vez que ouvi a frase "Nós somos o que comemos" foi num seminário sobre o nosso organismo do ponto de vista Macrobiótico, num campo de verão do IMP, no verão de 2001. Já lá vão 9 anos! 
9 anos de mudanças de hábitos alimentares que me permitiram recuperar a saúde quase perdida, e cujo grande salto foi dado em Seattle. Continuo a investigar para adquirir mais conhecimento sobre a alimentação e sobre o funcionamento do nosso organismo, para poder proporcionar ao meu corpo o bem-estar que ele tanto precisa para poder funcionar em pleno.
É uma forma de agradecimento à Natureza por me ter dado esta forma física de Inteligência Suprema! Porque, caso vocês ainda não tenham percebido, a saúde é o nosso maior e mais importante bem!

Dêem uma olhadela no video e depois digam-me o que acham. Este é um documentário a não perder!
vamos lá tirar a venda dos olhos e ficar correctamente informados acerca do que comemos, para podermos concluir acertadamente!


Montanhas de Informação AQUI.


****

Food Matters Oficial Trailer - We Are What We Eat!! no more comments needed, just watch it!
We need to open our eyes and look into the food in our plates, for our own sake!
Dig in HERE.






Thank you all for informing us!


Um beijo :}**

Miminhos / Food spa :)



[Scroll down to read the English version]


O que é que vos vem à cabeça quando pensamos em oferecermo-nos um miminho?
algo que nos faz sentir tão bem, aquele tipo de conforto interior, verdadeiro, real, duradouro? sabem do que estou a falar? espero que sim :).
Coloquei as amêndoas de molho, e passado uma noite, ofereci ao meu corpo e à minha alma, uma bebida dos deuses:
Bebida de Amêndoa. Natural, crua, viva, d-e-l-i-c-i-o-s-a!!
Caramba! rejuvenesci!
é saciante, é energizante, um simples copo mantém a fome distante por umas boas horas.
Aproveitei o que ficou no passador, chamei-lhe mousse de amêndoas, com aquela textura que se derrete na boca e o crocante das pepitas de chocolate, para comer mais tarde. Estava tão bom!
Em Seattle, sem liquidificador, tive poucas oportunidades para a fazer, mas aproveitei-as! Agora com liquidificador ... a história é outra ;).
Tentem e depois digam-me como vos soube!






E porque é verão, nesta abundância louca de frutos docinhos, numa dança viva de cores dentro da fruteira cá de casa, numa azáfama do liquidificador que já tem 'n' histórias para contar, saem uns suminhos deliciosos (com polpa e tudo), como este de melancia:





Mais "coisinhas" com melancia? no Leite da Terra: 1, 2, 3, 4 e 5! ;-)

Haja Terra abençoada, esta onde vivemos!

Um beijo :}**




-------
[English version]



When you think about giving yourself a treat, what usually does come to your mind? In what do you think about? I think about something that will make me feel good,  that I know that will be pure bliss for my body, mind and soul, something that will comfort me in deep way.
Do you know what I'm talking about? I hope so :)

I soaked the almonds overnight, and in next morning I gave a gift of the Nature to my body: Almond Milk
Natural, raw, live, d-e-l-i-c-i-o-u-s!!
My Goodness, it's revitalizing! 
It's energizing, and because it's a super food, it will keep you from eating for several hours.
And I did the exact same thing with the almond pulp, it's soooo good! just melts in your mouth.

When I was living in Seattle, I just had a few opportunities to make this delicious drink, I didn't have a blender at that time, but now that I have a blender.... it's hard to stop! ;)
When you have a chance, try it and let me know about the results. How did you feel about it?


And because it's summer, and all these sweet fruits available everywhere, watermelon has been my favorite lately. Blender working again and again to make a watermelon all-natural juice with the pulp: just cut a generous slice, peel it and chop into chunks and throw everything (seeds included) into the blender. Sometimes I don't add any water. Very easy and very good! 
There's tons of raw juices and smoothies on the web, just google them!


Enjoy this wonderful season!

26 July, 2010

Happy Birthday to Me!

[A versão em Português está depois das fotos]

on the 25th I turned 33 years old.

33 :-) !!!


This is my 4th year on my thirties and I continue to love them!
There was somewhere in my life a turning point when I realized that I was fighting too much... against myself. I decided to surrender and let it flow and I'm glad I did it!
I think acceptance and forgiveness brought into my life the Peace I want feel every day. This is the way.
I think it worth to celebrate every single year of our lives and the best way to celebrate is: good food!!


Do Céu caiu um Tomateiro / Do tomato seeds fly?

[Scroll down for the English version]

Hoje vou partilhar algo com vocês em forma de uma história.
Hoje visto a pele de contadora de histórias para vos contar algo que acontece lá por casa.


"O Inverno foi longo e forte. Dias e noites cheios de chuva, ventos assustadores que fizeram abanar tanto as janelas que foram capazes de me acordar de um sono profundo a meio da noite. O frio andava de mãos dadas com o cinzento do céu, e todos os dias eu pedia que Sol sorrisse para nós, nem que fosse por um bocadinho, só um bocadinho. Existe uma certa altura da vida, embora não saiba ao certo onde se situa o ponto de viragem, que a noção de tempo muda e, como por magia, este passar a andar mais depressa. A Primavera trouxe um pouco mais de harmonia e equilibrou o céu, e com ela brotaram as plantas, cujas sementes esperavam pacientemente dentro da terra, nos vasos que a minha mãe tem na varanda. A salsa foi a primeira a dar o ar da sua graça, para grande contentamento da minha mãe. Afinal, só tinha plantado salsa e ela queria muito que ela 'desse'. Mas no vaso maior a salsa tinha uma campanhia que ninguém sabia o que era até esta plantinha ter atingido uns 10 cm de altura. Estavámos todos curiosos, nada mais tinha sido plantado. Era suposto a salsa ter o vaso só para ela! Mas esta planta era teimosa e forte, e continuou a crescer. O meu pai, um homem criado no campo, apostou logo em como era um tomateiro. Mas como é que um tomateiro foi nascer ali se ninguém o plantou? Mas será que as sementes voam? Será que caiu do céu? Do céu não, dizia a minha mãe, deve ter caído da toalha da vizinha de cima quando a sacudiu na varanda!



18 July, 2010

White Elephant Gift Exchange / Troca de Presentes

[A versão Portuguesa vem depois da Inglesa :)]

After such a long time without writing here... I'm back!!
God, I was missing this, writing my adventures, my experiences, writing about my life, the way I see it, the way I live it, the way I love it! :)
I'm still writing my Ph.D. thesis, I'm hard on myself, I don't like loose ends, therefore writing a thesis is not a pleasant task because all the pressure I put on myself. The good news are, after a few chapters written down, I'm a kind of start to feel good about it, good about what is done, and I'm not going to mention (no, no, no!) all the issues that came up so far.... moving on!
But... writing for the blog is totally different, it's a joy! ;)

Come with me.... let's go back to end of 2008. How was your December? Do you still remember it?
Mine was hectic! I don't recall having such a busy month in my entire life, ever! Busy in a lovely way, as I 'm about telling you.


12 May, 2010

"Para mudar o mundo é preciso mudar a forma de nascer!" - M. Odent


O blogue continua em modo de pausa, mas não consegui evitar e deixar aqui algo que me deixou muito emocionada :).

Escrevi um comentário num blogue, que traduz algo em que acredito no mais fundo do meu ser, e esse comentário foi transformado num post!! A autora do blogue gostou tanto dele, que o criou um post com ele!

Foi um comentário escrito com muita paixão, com muita intensidade e resulta de muita reflexão que tenho vindo a fazer sobre o tema. Porquê este tema? não sei. Existem muitas coisas na minha vida que eu não sei explicar e sinceramente não quero saber. Simplesmente deixo acontecer, simplesmente sigo o meu coração, simplesmente sigo a minha intuição e só pelo facto de segui-la, o conhecimento adquirido, a evolução pessoal tem sido enorme. Todos nós deveríamos deixar o nosso coração guiar as nossas vidas, sem medos, e lutar por aquilo em que acreditamos, a diferença que seria! ;)

Com um enorme apreço e admiração pelo trabalho das Doulas, e juntando a minha voz às vossas:
http://gravidasemforma.blogspot.com/2010/05/maio-mes-internacional-da-doula_12.html


Curiosidade: o comentário original tinha mais de 4096 caracteres, o que o blogspot não permite, nem sabem o penei para conseguir os 4096 LOL.


Um beijo grande :}**

18 April, 2010

Joanne Simpson e uma pausa.

A primeira mulher que se Doutorou em Meteorologia chamava-se Joanne Simpson.

A sua passagem para o Plano Espiritual deu-se no início do mês de Março deste ano.
Quando recebi esta notícia e li o seu percurso, senti pena de não a ter conhecido.
Um orgulho cresceu cá dentro e uma espécie de honra por tê-la na Meteorologia: ela, Joanne, venceu num mundo de homens, e homens "duros", "rígidos", e ainda hoje, homens de referência nas Ciências Atmosféricas. Ela, contra a maioria deles, que achavam que a Meteorologia não era assunto para mulheres, quanto mais uma mulher doutorar-se em Meteorologia (!!!), arranjou um orientador, agarrou num tema e Doutorou-se mesmo!
Foi sem dúvida o maior estalo de luva branca neles todos e revelou uma mulher de garra, de muita força interior, uma mulher capaz e que acreditou nela própria e nas suas capacidades em 1º lugar.
E com este doutoramento, ela trouxe descobertas incríveis à Meteorologia, comprovada pelas suas observações e, mais tarde, pelas de muitos outros, desenvolvendo o 1º modelo de nuvens, explicando como funcionam os furacões e revelou o que conduz as circulações atmosféricas nos trópicos, através do estudo das Nuvens Cumulonimbus (as mesmas que eu estou a estudar!) nesta região. A ela se deve a Hipótese das "Hot Towers", quando se fala da Convecção tropical, como causa (e não consequência, como todos na altura pensavam!) da Circulação de Hadley e dos ventos alísios.

Podem ler a biografia completa aqui, é mesmo muito interessante como se fazia Meteorologia, por volta dos anos 50.


------------------------


PAUSA : aos meus leitores :), o blogue vai fazer uma pausa, de pelo menos , uns 2 meses.
A escritora, esta vossa amiga, entrou em período de reclusão. Porquê? por causa da minha tese de doutoramento. Estou em fase de escrita, mesmo quase no final e tenho uma enorme vontade de encerrar mais esta etapa da minha vida.

Quem alguma vez escreveu teses, e esta já é a minha 3ª, sabe como é difícil, como é chato, e como tudo o resto são distracções fortíssimas, que nos desviam da escrita num abrir e fechar de olhos. E para me afastar destas distracções, e o blogue é uma das que mais gosto me dá!, voltarei quando o assunto estiver bem encaminhado, isto é, a escrita em estado avançadíssimo!
E enquanto esta ausência durar, estejam à vontade para me enviar palavras encorajadoras, que eu preciso muito delas ;)!


------------------------


Um beijo grande para todos :}**
inté!

Estado Alfa :)

Estado Alfa acontece quando .......

vou de viagem para Aveiro, ou venho de Aveiro, no ALFA Pendular, e o dito comboio atinge a velocidade instantânea de mais de 220 km/h!!! entro num estado, o tal alfa, e só me apetece gritar que estamos todos a andar a 220 km/h!!! isto mexe com os meus neurónios e deixa todas as minhas moléculas fascinadas! e depois, a minha mente quer vencer o estado alfa e propõe-me ler os nomes dos estações e apeadeiros, aquela velocidade. Nunca consegui, nem letras consigo distinguir... o estado alfa é poderoso! e eu... deixo-me ir :) .


D'Artacão e Cpª!


No outro dia enviaram-me isto e eu tive um surto histérico! Não... estou a brincar ;) mas passei-me de tal tal ordem que cantei vezes sem conta a canção do D'Artacão, adorava estes desenho animados e quando veio o filme, também gostei muito.
E para mais tarde recordar, aqui fica o genérico:




Depois, lembrei-me que também via o Tom Sawyer! Quem é que não se lembra do Tom Sawyer??
que saudades! :) e para acabar com elas, o YT resolve, está lá tudo:




E depois, a minha mente avançou rapidamente no tempo e lembrei-me que, quando era uma adolescente romântica, no sentido literal, muito muito mais do que sou hoje, via esta série Brasileira religiosamente! e qual era?
Era o PANTANAL!!! dava na RTP2, todas as 6ªf e Sábados, à 1h da manhã! e esta "maluquinha de arroios", ficava acordada até essa hora, na espera ansiosa por cada episódio e ficava mesmo aborrecida quando não podia ver e pedia para gravarem! Lembro-me como se fosse hoje, há eventos que nos marcam, caramba!
Aqui fica o genérico: JUMAAAAAAAAAAAAAA ;)




Um beijo :}**

05 April, 2010

Beringelas e Bombocas ;)

Nesta Páscoa, resolvi cozinhar algo diferente. :)
Diferente na verdade não foi, mas foi a 1ª vez que as fiz em casa: Beringelas recheadas no forno!
Isto porque, um almocinho com a Natacha no Bem-me-Quer, em Lisboa, e depois outro almocinho no Dona Alface, em Aveiro, deram-me a provar beringelas recheadas no forno que estavam, pura e simplesmente, uma D-E-L-Í-C-I-A!! eu até que nem era fã de beringelas, mas converti-me:
Beringelas... I LOVE YOU! lol
Fui consultar o oráculo, em Português e em Inglês ("stuffed eggplants") e consegui receitas muito boas. Como era a 1ª vez e era almoço de família, embora todos os restantes tivessem comido coelho, tive que escolher algo rápido e fácil de fazer para poder acompanhá-los. Servi as beringelas com puré de batata e salada de alface. Ficaram muito boas e é um prato que recomendo vivamente!

Seguem algumas fotos para vos aguçar o apetite e brincar com a enorme variedade de vegetais que a Mãe Natureza (gosto tanto dela!!) nos dá:




E para sobremesa, e como ando numa altura de recordar a infância, quem é que não se lembra de comer Bombocas quando era mais novo? qual não foi o meu espanto quando, numa ida à Brio, estavam lá estas danadinhas em promoção: os meus olhos nem queriam acreditar no que viam - eram mesmo elas, as BOMBOCAS (marca BIOKuss)! ;)



Muito boas, melhores que as antigas, porque eram biológicas, uma sobremesa e pêras!


Um beijo :}**


PS - isto não é um blogue de cozinha, atenção! eu é que não resisto a colocar aqui as minhas aventuras culinárias que me dão tanto prazer, levam-me para outro estado, literalmente! lol