24 February, 2010

Nós (os humanos) somos criaturas de hábito :)


[enquanto não termino o artigo sobre o Halloween deste ano..., escrevo sobre estas coisas do dia-a-dia :)]


às vezes penso e tenho a certeza que se nos pudéssemos observar, como quem vê uma peça de teatro, a nossa própria peça de teatro, iríamos assistir a uma comédia, isto porque o hábito faz o monge ou, dito por outras palavras, estamos altamente mecanizados, isto é, piloto automático para o série de eventos ordinários (do dia-a-dia), sem termos a mínima noção de que os fazemos.

E o que acontece quando alguém repara nestes hábitos?
existem alguns tão esquisitos, que só mesmo o silêncio, acompanhado de um par de olhos esbugalhados que traduzem o célebre pensamento "não tinha dado conta!" ou "tenho mesmo esta mania?", nos salva.

Partilhando aqui alguns, para eu própria mais tarde recordar :).

Pais:
Em 35 anos criam-se muitos hábitos, vocês nem calculam.
Tenho vindo a descobrir que o meu pai tem vários relógios internos. Um deles está sintonizado com a hora a que a minha mãe supostamente deveria chegar a casa.
Quando essa hora passa, uns 15 minutos depois, mais minuto menos minuto, o alarme dispara e dou com ele a andar de um lado para o outro, entenda-se da cozinha para a sala e da sala para a cozinha, a recitar o seu mantra para esta situação:
"a tua mãe nunca mais chega, não me disse nada, será que ela quer que eu vá adiantando o jantar?", " o que será que ela quer para o jantar?", eu "pai, tem calma,  se a mãe não disse nada tem tudo controlado, não é preciso preocupares-te.", ele, depois de me ouvir com interferências seleccionadas, "pode ter ficado sem bateria, e depois chega a casa e ralha porque eu não coloquei o peixe a descongelar", e eu penso, a rir-me comigo própria que tenho um pai traumatizado a precisar de terapia LOL, e vou eu para lhe responder quando ele já está de telemóvel na mão a telefonar para ela a perguntar se ele tem que fazer alguma coisa para o jantar.
isto aconteceu.... todas as vezes que, desde que estou cá, a minha mãe chegou uns minutos mais tarde que o habitual! nunca consegui acalma-lo de modo a evitar que ele não lhe telefonasse  e de todas as vezes, não era preciso fazer nada para o jantar. :)

Outra que eu acho deliciosa é o meu pai não comprar nada sem ter a "autorização" da minha mãe. Foi assim toda a vida. 
Aliás, posso dizer, que exceptuando uma ou outra peça de roupa, tudo o que ele comprou "sorrateiramente" deu mau resultado.  E assim como o comprar, incluo também o decidir.

Nestes últimos dias, o meu pai, pessoa que não pára, resolveu inscrever-se num curso de energias renováveis, mas antes de se inscrever, foi lá falar, investigou, conversou, viu se o panorama lhe agradava, se o pessoal era de confiança, o que era preciso e depois de horas a entrevistar e a ser entrevistado, terminou dizendo "então amanhã telefono-lhe porque preciso de conversar com a minha mulher sobre isto, para saber se ela concorda.".... eu imagino a cara do rapaz quando meu pai lhe disse isto! nos tempos que correm, onde a competição faz com que o individualismo seja levado ao extremo, como quem ergue muros altíssmos em volta de uma casa, e só importa o eu, eu e eu, ele veio mesmo para casa e disse à minha mãe que só ia fazer o curso se ela concordasse.
E esta hein?

E, em jeito de conclusão, cá vou aprendendo como educar um homem!! LOL

E, vou também lembrando, a célebre frase: " por detras de um grande homem está sempre uma grande mulher!", e a minha mãe é mesmo uma grande mulher! ;)

tem continuação :)

Um beijo :}**


Curso Familiar de Introdução aos Computadores - cont.

 [enquanto não termino o artigo do halloween deste ano.....]

Umas breves notas para vos dizer que já apresentei os meus pais ao Open Office Writer, versão grátis (da Sun Systems) do M. Word e foi um desvario com tanta informação que absorveram! Foi de tal modo que nem apontamentos tiraram, o que me faz suspeitar que vai sobrar para mim ... :)
No final, só se ouviam as palavras "isto é muita coisa, isto é muita coisa", "é um mundo, é um mundo!" LOL.

Aos pouco e poucos, vou apresentando a internet e os emails. Só este tópico dava formação que levaria meses, mas vou ensinando à medida que eles vão procurando/necessitando, mas desta vez conto com a ajuda da minha mãe, que já sabe navegar na internet e prima pela segurança. 
O que os deixou mais entusiasmados foi o email, principalmente o meu pai - ficou encantado da vida!
Criámos-lhe uma conta no gmail e aos poucos ele vai familiarizando-se com o gmail e com todas as suas funcionalidades, muitas das vezes descobrindo por si, pensando primeiro e com atenção, percebendo o que está a fazer. 
Repeti e continuo a repetir, como se fosse um mantra, "muita atenção ao que estão a fazer, vamos perceber o que estamos a fazer!" (isto é válido para todos nós) - tem resultado! lol

De há uns dias para cá, desde que aprendeu a ver os emails, todos os dias, religiosamente, ele vê os seus emails "ah! ainda não vi os meus emails hoje!" dizia ele, à 1h 30 m da manhã, com uma voz vibrante, "não me posso ir deitar sem ver os emails!".
Mas depressa percebeu que os emails não vinham e olhou para mim, com um olhar penetrante , como quem manda um recado escondido nas entrelinhas e disse:
"ninguém me manda emails!", ou "não tenho emails novos".
"estou feita!", pensei.

Como já devem calcular, entrei eu ao serviço, rencaminhando-lhe mensagens daquelas que se reencaminham facilmente sem precisar de resposta: imagens, links, anedotas, histórias, crónicas (as do Sócrates estão na ordem do dia) e os mais diversos power-points.
E está todo contente!

E assim a vida me vai ensinando e mostrando-me que não há um tempo para se ser aprendiz ou para se aprender, é sempre tempo de aprender, que a aquisição de conhecimento não tem uma idade própria para acontecer, basta querer, um querer de dentro e uma humildade para se reconhecer que precisamos de aprender. Os obstáculos estarão lá para testar o nosso empenhamento e a nossa vontade, mas sem eles, não iríamos mais além.


Um beijo :}**

10 February, 2010

Uma ida ao supermercado - versão masculina


[Mais uma situação cómica com o meu pai :) ]

Hoje de manhã....

Eu - "Pai, vou à Brio, já não tenho leite (bebida) de amêndoa para o pequeno-almoço."
P - "espera, não precisas, que eu passo por lá, porque peciso de tratar umas coisas na vizinhança. O que é que precisas?"
Eu - "de 2 pacotes de bebida de amêndoa, daqueles que tu sabes. Obrigada!"

Passado umas horas, ele chega à casa com 2 sacos da Brio, cheios!!
Trouxe: 
- 6 pacotes de 1L de leite de amêndoa, 
- 2 embalagens de chocapic feito de quinoa (em vez do tradicional trigo),  
- 1 pacote enorme de bolinhas de milho crocantes de chocolate e,
- 1 queijo de cabra biológico.

Noto algo de feminino no meu pai.... LOL!!!


[se ele sabe que escrevi isto levo um raspanete!! fica só entre nós, okay?]


beijos :}**



PS - as situações cómicas com o meu pai são tantas que dava, literalmente, para escrever um blogue, nem vos passa pela cabeça!

Curso Familiar de Introdução aos Computadores :)



No Domingo, dia 31 de Janeiro, começou-se algo novo cá em casa: dei início a um curso de introdução aos computadores. Destinatários? os meus pais.

Como é que tudo começou?

Bem :), um dia destes o meu pai chegou a casa e no auge do seu entusiasmo, perguntou-me:
P - "Preciso de comprar uma pen drive! Sabes quanto é que custa?"
Eu - "Depende do tamanho que queres. Qual é o tamanho que precisas?"
P - "Tamanho? é daquelas normais, pequenas!"
Eu - "hmmmmmmm........" (lol)
P - "É porque não-sei-quem vai passar-me para a pen o modelo do motor a trabalhar, e depois eu posso vê-lo a funcionar no computador. Tens que me ensinar a trabalhar no computador!"

e foi assim, que no fsm a seguir dei início à 1ª 'workshop' de 4h de Introdução aos Computadores, na mesa grande da sala com vista para a ponte sobre o Tejo, umas das encostas do Monsanto e ainda um bocadinho do jardim Zoológico, com 2 únicos alunos, pai e mãe,  de caderno e canetas (de várias cores) em punho e com o meu pai sentado no comando do Toshiba de quase 9 anos.

Posso já dizer-vos que se aguentaram muito bem e eu, nos dias que antecederam o início de mais esta minha missiva, dei com a minha mente a fervilhar de ideias de coisas para lhes ensinar, de como iria estruturar este curso e o que era mais importante para eles aprenderam no início. Nunca tomei notas, estava tudo na minha cabeça, confiei nos meus instintos, que apesar de este ar calmo exterior, regem uma mulher que não gosta de ter penduras, isto é, formação pela minha mão será sempre de muito boa qualidade e de modo a formar pessoas que possam sempre seguir sozinhas nos seus caminhos, entendendo sempre o que estão a fazer.
Por isso há que começar sempre pelo início.
E o início ditou a 1ª pergunta que lhes fiz e com a qual abri este curso:
"O que é um computador?"
Respostas:
M- "é uma máquina"; P- "é isto (apontando para o portátil)." :)

A partir daí foram 4 horas intensivas, onde aprenderam o que é um computador, o que faz, como funciona, como é constituído, aprenderam o que é o disco rígido, o processador, o que é a memória, e as outras componentes e quais são as respectivas funções. Aprenderam o que são sistemas operativos e quantos existem no mercado, aprenderam também as unidades do computador, como eu as designei, os bytes, e fizémos exercícios com os bytes, desde os bytes até aos Terabytes (Tb). Hoje o meu pai já sabe qual é o tamanho da pen drive que precisa. :)

Passámos à prática, depois de um intervalo de 45 minutos em que o meu pai, exausto de tanta informação, dormiu uma soneca (é daqueles sortudos que se deita no sofá e dorme instantaneamente!).

A 2ª parte foi dedicada ao sistema operativo Windows XP que está instalado no computador, ligar, desligar, o conceito de janelas, as funcionalidades básicas das janelas, criar uma pasta, criar um documento, o menu iniciar (ao de leve), as propriedades do ambiente de trabalho, mudar a imagem de fundo, a protecção do ecrã, trabalhar nas várias opções.
Esta aula terminou com o meu pai a jogar copas no computador e a dizer que o computador o estava a roubar! ;)

Mas a mensagem principal ficou lá: é um mundo isto dos computadores e é necessária calma e muita atenção aos que se está a fazer e saber interpretar o que o computador precisa para fazer executar a tarefa pedida por nós.

Ao longo destas 2 semanas e enquanto não se arranja um dia conveniente para todos nós para aprender a criar um documento Word e entrar no mundo do Open Office, com todas as suas opções de texto, o meu pai, principalmente, pois é o que está mais atrasado (a minha mãe já lida com computadores na profissão dela), ao longo deste tempo, tem se sentado quase todos os dias à noite em frente do portátil, e com a minha ajuda, e utilizando o WordPad, já criou um documento e tem praticado a escrita, habituar-se ao teclado: mão esquerda ocupa-se da parte esquerda do teclado, mão direita ocupa-se da parte direita do teclado.
Surpreendentemente, ele gosta mais do rato no teclado, em vez do rato externo. Deu-se muito bem com ele.

A situação mais cómica que passei com ele, foi quando, num dia destes, estava eu com a minha mãe, nos saldos, numa grande superfície comercial a experimentar camisolas (a 7€!!!!!) de meia-estação, nos provadores, quando o telefone toca: a voz aflita do meu pai surgiu do outro lado "o documento desapareceu!! está tudo branco!! e agora?";  eu " Pai, tem calma, deves só ter aberto o editor, o programa que edita o teu documento, ouve-me com atenção, que vamos já buscar o teu documento." 
Foram 15 minutos de assistência telefónica, dentro dos provadores de um dos pisos do El Corte, com aquilo cheio de gente e um pai meio surdo do outro lado do telefone. :)))

Digo-vos que é um orgulho vê-los aplicados, a tirar notas e entusiasmados em aprender.
E quando fazem as coisas sozinhos, dou-lhes muitas palavras de incentivo. Além, claro está, do Ctrl G! :))

Às vezes ser a filha a dar o curso não é fácil, não é fácil manter a ordem e a estrutura, afinal eu estou sempre aqui, mas eu sem estrutura não vivo, faz parte do meu método para atingir a perfeição ideal (mesmo que não a atinja na realidade, ajuda a orientar-me), por isso não há internet para ninguém (é dos pedidos que mais oiço desde que começaram a "mexer" nos computadores) enquanto não souberem o básico e têm que confiar em mim: eu sei o que é o básico. :)
Costumo dizer-lhes, quando começarem a navegar na internet, eu vou ter a certeza de que vocês sabem o que estão a fazer!

E perguntam vocês "como é que tu tens paciência para isso?" bem.... depois de 3 anos e meio a viver no states, paciência foi algo que cultivei bastante, tenho de sobra, e nada melhor do que situações destas para me assegurar que a tenho. Além disso, e muito mais importante, ainda tenho pais, vivos e com saúde, e não poderia haver melhor oportunidade de lhes dizer e mostrar que estou muito grata por aquilo que fizeram e ainda fazem por mim. É uma forma de Amor, aquele Amor Maior.
Gratitude é outro sentimento que devemos sempre cultivar nos nossos corações, a Paz que daí advém é imensurável!



Um beijo  :}**

08 February, 2010

Quando não se tem microondas ...


e, chegamos a casa para o almoço verificamos que nos esquecemos de tirar o almoço do congelador? :)
poupadinhos e utilizando o Solzinho que faz lá fora, põe-se a pescada ao ar livre, na varanda! 
Económico e natural!!!
Querem melhor? ;)

O sal, marinho pois está claro, é para afastar as moscas que possam ser atraídas pelo cheiro do peixe a descongelar. Onde há sal, elas não chegam. Segundo o meu pai. Aliás, a ideia de descongelar ao ar livre é dele mesmo, embora só funcione mediante certas condições.... por exemplo, no Inverno na Noruega provavelmente teria que se recorrer ao forno!




Um beijo :}**



PS - To access the English version, you have the Translate button on the right column of this blog, go for it!