25 September, 2011

O Mar, o Céu e a vela... juntos!

[fotos no final em slideshow :)]


Estou aqui a experimentar as novas funcionalidades do editor do blogue, tudo re-organizado e com novo aspecto, mas não está a ser fácil! hehehe, a nossa memória adaptou-se completamente a outra estrutura e estou a sempre a perguntar a mim mesma "onde é que está aquela opção?!" e a perder segundos preciosos a procurar o que quero, quando antigamente fazia tudo de olhos fechados! não sou simpatizante de grandes mudanças, mas confesso que todo o aspecto do editor é bem mais suave e agradável, só falta mesmo adaptar-me a esta brancura Zen ;).

Sabem uma coisa? :) já não tenho muitos artigos para publicar, na verdade são bem poucos, o que significa que esta aventura da escrita está mesmo a terminar! Não estou triste, até porque não vou deixar de escrever, continuo a fazê-lo mas em modo mais privado para poder "dizer" aqueles palavrões proibidos que ninguém pode ler, quando as situações arrasam o meu coração. lol

Hoje escrevo sobre mais uma aventura no mar - mar, céu e velas.... tudo junto. É como quem diz "Fui velejar", ou melhor "Fomos velejar"! Em Junho de 2009, há mais de 2 anos.
Foi no Puget Sound, em Seattle, ao pôr-do-Sol.
Não há altura melhor para fazer este tipo de passeios, porque esta hora do dia é mágica. Traz consigo algo de misterioso, de poderoso e muito aconchegante ao mesmo tempo. Não há palavras para a descrever, só mesmo o sentir, só mesmo o "surrender". 
Eu adoro esta altura do dia e já o escrevi muitas vezes aqui (pareço um disco riscado, sempre a passar a mesma faixa! lol) que é a minha preferida, sinto muita vontade de olhar o Céu, de elevar os meus pensamentos (e na verdade faço-o) esteja onde estiver.
Recebia outro dia, na minha caixa de email, um dos "Pensamento do Dia", pelo Brahma Kumaris, Portugal (assinei a newsletter deles online), dizia isto :)

****
" Porque gostamos tanto do pôr-do-Sol?
 Porque ele nos leva para além da dimensão física. 
Sentimos que o tempo pára, e entendemos o que significa a eternidade. Ele acorda a nossa espiritualidade adormecida.
Quando tiver uma oportunidade, sente-se em frente de um pôr-do-Sol e relaxe.
Não analise.
Observe apenas e deixe que surjam sentimentos profundos de Paz."
****

Está tudo explicado, ou não está? ;) - achei este pensamento maravilhoso!

Voltando ao passeio :)... olhando para trás tive algumas oportunidades para viver esta experiência e muito o devo aos amigos que fiz quando lá estive. 
Desta vez, foi o Jon que me levou pela mão, como se costuma dizer. Conheci-o nas aulas de culinária vegetariana, mais novo que eu (como eram quase todos), mas muito espiritualizado, digamos assim, teve um impacto muito grande na minha vida, exactamente por isso, porque víamos a vida de um modo muito semelhante, abrangente. Ele foi O responsável pela volta do Yoga à minha vida e nunca mais nada foi igual :). 
Um dos sonhos dele era ter um veleiro, gostava imenso do mar e dos barcos e geralmente estas pessoas têm amigos que têm barcos. Um dos amigos dele, o B., tinha (e tem) um veleiro na marina da Ballard, e como o tempo estava a começar a ficar bom, convidou-nos para velejar um pouquinho. Sairiamos antes do pôr-do-Sol, para podermos relaxar depois de um dia de trabalho.
Não os conhecia, sentia-me um pouco nervosa. Também não percebo nada de "velas", o que também não ajudava a sentir-me melhor. Mas quando lá cheguei, deparei-me com pessoas mais maduras e que acolheram uma estrangeira o melhor que puderam. 
Nunca me tinha sentido tão bem com pessoas que não conhecia de lado de nenhum, nada foi forçado ou fingido, era tudo de coração e sentia-se tão bem.
O barco era espectacular, pequeno por fora, mas com tudo lá dentro e ainda tenho hoje viva na memória a surpresa do B. quando nos foi buscar à porta da marina: "mas vocês vêm assim, vestidos de t-shirt?! não trazem mais nada?" e nós "trouxemos casacos, não te preocupes.", ele "deixem-me ver!"... " ooh no no... those are not enough!" falava e muito bem a voz da experiência. Valeu-nos os casacos e camisolas que ele lá tinha em vários tamanhos, porque o Sol a pôr-se e o mar mesmo ali, a menos de meio braço de distância, beim.... só vos digo que estava frio, sim senhor!
O B., o Jon e o pai do B. comandaram toda a parte técnica do velejar e ainda me foi dada a oportunidade de experimentar também... não conduzi o barco, mas segurei nas cordas enquanto eles recolhiam as velas, o que (claro está!) foi importantíssimo LOL.
O tempo passou rápido, a conversa animada e divertida - uma das amigas do B. era terapeuta de casais e passámos um bom tempo a falar das relações entre os casais e da própria relação dela com o ex-marido, foi muito proveitosa confesso, porque nós podemos aprender muito com a experiência do outros e eu assimilei muita coisa nova.
Lá está o ditado "nada acontece por acaso!".
Dissémos todos adeus ao Sol, silêncio intenso e Divino enquanto ele nos deixava e ao voltar para a marina já de noite, eu nem conseguia articular fosse o que fosse (o que levou a situações caricatas como estarem de minuto em minuto a questionar-me se estava tudo ok comigo LOL) de tal modo me entreguei ao sentimento, à energia daquele momento. 
A profunda Paz que sentia no meu peito não dava lugar nem espaço às palavras, falava outra dimensão de mim, e não era a terrena. Sentia-me profundamente grata por estar ali, e lágrimas de alegria rolaram pelas minhas faces abaixo. 
Acabámos a noite num restaurante mexicano, todos com um ar ultra Zen LOL, aqui a vossa amiga com imensa fome (o mar abre o apetite!) que um burrito vegetariano e mais outros petiscos fizeram as nossas delícias.
Sempre que puderem não deixem de estar em contacto com esta força da Natureza, de se sentarem no colo da Mãe Terra!





Um beijo na alma :}**


PS - se quiserem ver foto a foto, o álbum está lá em baixo no Cantinho das Recordações.

No comments: